Beleza Pele

Espinhas internas: saiba como se livrar delas e evitar esse problema

As espinhas são um incômodo bem comum, já que a acne é um processo natural em que a oleosidade do corpo obstrui os poros da pele causando uma inflamação no local.

Mas se as acnes comuns já incomodam, imagine as espinhas internas, que costumam ser mais doloridas e inflamar com facilidade, além de serem difíceis de remover.

Por que elas aparecem? Pode espremer? Dá para evitar? Se você tem essas dúvidas, leia este post e saiba tudo sobre o assunto!

Por que as espinhas internas aparecem?

espinha_interna_2

Qualquer tipo de espinha aparece pela obstrução do ducto pilo-sebáceo – canal por onde saem o pelo e o sebo do corpo, também conhecido como poro da pele.

Isso faz com que o sebo se acumule ali e fique retido sob a pele, formando um cisto, que dá origem a uma inflamação que resulta em uma espinha.

A diferença entre a espinha comum e a interna é que a última não erupciona, pelo menos não no início, ficando debaixo da pele, em camadas mais profundas.

São doloridas e quando surgem, deixam a área inchada e com vermelhidão. Podem ser só um processo inflamatório como citado acima, ou ainda ter um agravante, com a presença de bactérias Propionibacterium acnes que transformam a espinha interna em um processo infeccioso aumentando a dor e causando a secreção de pus.

As espinhas internas podem ser causadas por uma série de fatores, como predisposição genética, alterações hormonais ou uso contínuo de produtos oleosos.

Como se livrar de uma espinha interna?

Para tratar uma espinha interna, a regra de ouro é: nunca esprema, fure ou aperte. Essas ações não eliminam a espinha e ainda deixam o local mais inflamado, facilitam a proliferação de bactérias e causam cicatrizes permanentes.

Existem alguns caminhos naturais que o corpo utiliza para eliminar espinhas internas. Um deles é reabsorver o cisto de sebo causador da espinha, curando-a naturalmente.

No entanto, a forma mais comum é erupcionar, criando um canal para que o sebo, o pus e outros resíduos provenientes da inflamação possam sair para a superfície da pele. A boa notícia é que existem algumas técnicas para agilizam esse processo.

Fazer uma compressa com água morna no local da inflamação ameniza o problema, acalmando a pele e diminuindo a dor. Além disso, abre os poros, fazendo com que a espinha saia de forma natural.

Para fazer a compressa, molhe um algodão na água morna e aplicar sobre o local, deixando por alguns minutos. Quando a água esfriar, repita o processo. Você pode fazer o procedimento duas vezes ao dia até que a espinha desapareça.

O vapor de água também pode ajudar, pois tem um efeito similar ao da compressa, abrindo os poros e fazendo com que a espinha interna saia aos poucos. Para fazer a vaporização, coloque água quente em uma bacia e aproxime a região afetada, deixando-a exposta ao vapor. Repita o processo duas vezes ao dia.

Também é importante manter uma boa higienização da pele, com sabonete antisséptico e loções com propriedades secativas. Em casos de infecção muito severa, um dermatologista pode receitar o uso de antibióticos ou ácidos salicílico e retinoico.

Em casos menos comuns, pode ocorrer um endurecimento do cisto, que não sai pelo canal e nem é reabsorvido pelo organismo. Nestes casos, ele acaba endurecendo e formando uma fibrose, que só poderá ser removida com intervenção cirúrgica.

Compressa de chá preto funciona?

hskahs

Dentre os tratamentos caseiros para espinhas internas, a compressa de chá preto é o mais citado.

A planta Camellia sinensis – com a qual o chá é feito – possui propriedades calmantes e antiinflamatórias que ajudam a aliviar os sintomas.

No entanto, não existem estudos que comprovem que a planta é realmente responsável pela melhora ou se é o calor da compressa, pois, como dissemos anteriormente, o calor tem efeito vasodilatador, aumentando o fluxo de sangue a oxigenação do local, abrindo os poros e facilitando a saída da espinha para a superfície da pele.

Portanto, o uso de compressas de chá preto, ou até de camomila, são válidos para auxiliar no tratamento de espinhas internas. É só fazer o chá, molhar um algodão nele enquanto está quente e coloca-lo sobre a área afetada.

Como evitar o problema?

Alguns hábitos podem ajudar a prevenir o aparecimento das espinhas internas:

  • Lave o rosto pelo menos duas vezes ao dia com um sabonete próprio para o seu tipo de pele;
  • Faça uma esfoliação no rosto uma vez por semana;
  • Limpe a pele antes de dormir a fim de remover resíduos de maquiagem, poluição e oleosidade acumulados durante o dia, já que eles contribuem para a obstrução dos poros;
  • Evite cosméticos que acentuem a oleosidade;
  • Não “cutuque” espinhas já existentes pois contamina a área e favorece o aparecimento de novas acnes;
  • Mantenha uma alimentação saudável, com pouca gordura e açúcares, já que estes favorecem o aparecimento de espinhas.

É importante ressaltar que dependendo do grau de inflamação das espinhas internas ou da frequência e intensidade que elas ocorrem é recomendável procurar a orientação de um dermatologista para que ele possa indicar o tratamento mais adequado para o problema.

Você já teve uma espinha interna? O que fez para se livrar dela? Conta pra gente nos comentários!

Veja também:

Último Vídeo do Nosso Canal


LISTA VIP!
Nossas Dicas no seu Email
Seja a primeira a saber das nossas últimas dicas. Coloque seu email abaixo e receba nossos posts:
Cadastrar!
Apenas 1 email por semana. Conteúdo Exclusivo!
close-link
/* ]]> */