Nutrição

Farinha de trigo integral: tipos, benefícios e características

Quer saber mais sobre a farinha de trigo integral e incluí-la em sua dieta para ter uma melhor qualidade de vida? Neste artigo falaremos sobre as farinhas integrais disponíveis no mercado, quais seus benefícios e muito mais!

Diferença entre a farinha de trigo branca e a farinha de trigo integral

Podemos encontrar no mercado vários tipos de farinhas integrais, mas a dúvida entre qual é a melhor sempre recai sobre a farinha de trigo branca e a farinha de trigo integral. Quer saber quais são as suas diferenças? Confira!

Farinha de trigo branca

A farinha de trigo branca é feita através do grão de trigo que passa por um processo de refinamento. Isso faz com que grande parte de seus nutrientes se percam.

Farinha de trigo integral

A farinha de trigo integral é produzida com o mesmo grão, porém, ela não passa por nenhum processo de refinamento, conservando, assim, seus nutrientes como vitaminas, proteínas, sais minerais e, principalmente, as fibras.

Em comparação com a farinha de trigo branca, a integral apresenta 10% menos carboidratos, 20% mais proteínas e 240% mais fibras, o que a torna uma grande aliada nas dietas de emagrecimento. Como possui um índice glicêmico menor, ela proporciona uma maior sensação de saciedade o que é ideal para quem quer perder uns quilinhos.

Tipos de farinhas integrais/funcionais

Não resta a menor dúvida que incluir qualquer tipo de farinha integral na dieta só aumenta a qualidade de vida. Confira algumas das farinhas integrais disponíveis no mercado e quais os benefícios de cada uma.

1. Farinha de aveia

A farinha de aveia é rica em fibras solúveis o que proporciona uma maior saciedade, bem como auxilia no bom funcionamento intestinal. Rica em beta-glucana, ela auxilia na redução do colesterol ruim (LDL), além de ser fonte de vitaminas, proteínas e minerais. Pode ser consumida em vitaminas, mingaus, no preparo de pratos doces e salgados.



2. Farinha de amêndoa

Pobre em calorias, mas rica em vitamina E, possuindo 35% da recomendação diária, a farinha de amêndoas ainda é fonte de gorduras boas, o que auxilia no controle dos níveis de colesterol e rica em proteínas. Ela pode ser utilizada para empanar carnes, no preparo de bolos, doces, panquecas e biscoitos.

3. Farinha de arroz

Fonte de fibras, proteínas e carboidratos complexos, a farinha de arroz pode ser consumida por celíacos uma vez que não possui glúten. Ela pode ser produzida a partir do arroz branco ou integral, que é a melhor opção. De sabor suave, ela pode ser utilizada no preparo de pratos doces e salgados, substituindo perfeitamente a farinha de trigo branca.

4. Farinha de banana-verde

Produzida a partir do fruto verde, faz com que essa farinha seja rica em amido resistente, carboidrato que é digerido no intestino delgado e não é transformado em glicose. Rica em fibras auxilia no bom funcionamento intestinal, bem como evita a sensação de inchaço.

Além disso, a farinha de banana-verde de  ela fortalece o sistema imunológico e facilita a digestão. Pode ser consumida em vitaminas, iogurtes, no preparo de bolos e pratos salgados.

5. Farinha de berinjela

A farinha de berinjela, assim como o próprio vegetal in natura, é uma fonte riquíssima de fibras, auxilia na redução dos níveis de colesterol, promove uma maior sensação de saciedade sendo muito utilizada nas dietas de emagrecimento, aumenta o sistema imunológico e é rica em antioxidantes. Ela pode ser utilizada no preparo de doces e salgados, além de vitaminas e sucos.

6. Farinha de chia

Excelente fonte de fibras, proteínas e Ômega-3, além de possuir propriedades antioxidantes, a farinha de chia pode ser utilizada no preparo de tortas doces e salgada, assim como bolos, vitaminas, pães, iogurtes, entre outros.

7. Farinha de coco

Outra boa opção para os celíacos por não possuir glúten, a farinha de coco ainda é rica em fibras, mais até que o óleo de coco. Ela também de auxilia no processo de digestão e reduz o risco de diabetes. Porém, possui um alto teor de gordura e, se consumida em excesso, pode levar ao ganho de peso. Ideal para o preparo de doces, bolos e vitaminas.

8. Farinha de quinoa

A farinha de quinoa é uma excelente fonte de proteínas, fibras, vitaminas e minerais, além de proporcionar uma maior saciedade auxiliando nas dietas de emagrecimento e não possuir glúten. Ela pode ser utilizada no preparo de tortas doces e salgada, bolos, biscoitos, vitaminas, iogurtes etc.

9. Farinha de linhaça

Um dos maiores benefícios da farinha de linhaça é aumentar os níveis de colesterol bom (HDL), mas também é uma excelente fonte de fibras, o que auxilia no processo de digestão e no bom funcionamento intestinal.

Ainda possui propriedades antioxidantes que auxiliam no combate do envelhecimento precoce. Ela pode ser consumida em saladas, frutas, vitaminas e iogurtes, bem como no preparo de pratos doces e salgados.

10. Farinha de maracujá

A farinha de maracujá é produzida a partir da parte branca presente na casca do fruto que é rica em vitamina B3, ferro, fósforo, cálcio, além de possuir altas concentrações de fibras solúveis.

Assim, ela auxilia na perda de peso por promover uma maior sensação de saciedade, melhora a digestão, reduz os níveis de colesterol e previne o diabetes. Pode ser consumida em sucos, saladas e iogurtes.

11. Farinha de soja

Isenta de glúten, fonte de proteínas, rica em fibras e com baixo teor de sódio, a farinha de soja auxilia no emagrecimento, diminui os sintomas da TPM, fortalece músculos e ossos, controla os níveis de colesterol e fortalece o sistema imunológico. Ela pode ser utilizada no preparo de bolos, tortas e massas em geral, bem como em vitaminas, sucos, iogurtes e chás.

Como incluir as farinhas integrais no dia-a-dia?

Todas as farinhas integrais podem ser incluídas nas refeições diárias em sucos, saladas, vitaminas, iogurtes, bem como substituir a farinha branca em determinadas preparações. Mas, por serem ricas em fibras, o seu consumo exagerado pode causar constipação.

De acordo com especialistas, o ideal é consumir 3 colheres de sopa diariamente e aumentar a ingestão de líquidos para auxiliar na absorção.

Já para substituir, por exemplo, a farinha de trigo branca pela integral em determinadas receitas, não basta simplesmente trocar uma pela outra. O correto é aumentar o líquido utilizado em seu preparo.

Por exemplo, se a receita leva 2 xícaras de chá de farinha branca e 1 xícara de chá de leite, substitua por 2 xícaras de chá de farinha de trigo integral, 1 xícara de chá de leite e ½ xícara de chá de água. Ou seja, para cada xícara de farinha integral, adicione ¼ xícara de água.

Isso, porque, como já explicamos, as farinhas integrais possuem mais fibras e assim, absorvem mais água, o que poderia comprometer o resultado final da receita.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */