Beleza Pele

Fator de proteção solar: saiba tudo sobre o assunto

Todos sabem da importância do fator de proteção solar para prevenir queimaduras, o envelhecimento precoce e até mesmo o câncer de pele. Mas, o que ele significa na realidade? Como utilizá-lo? Iremos abordar tudo sobre o FTS nessa matéria. Acompanhe!

A exposição ao sol por um determinado período causa eritema, que é a vermelhidão causada na pele em virtude da dilatação dos vasos sanguíneos. Quando é usado o protetor solar, a pele recebe como se fosse um escudo que a protege da ação dos raios ultravioleta evitando tanto as queimaduras, como problemas mais graves.

O Fator de Proteção Solar (FPS) é um índice numérico apresentado nos protetores solares que determina o quanto tempo a mais a pele está protegida quando ele é utilizado, levando-se em consideração que cada tipo de pele sofre os efeitos do sol após um determinado período de exposição.

Como o Fator de Proteção Solar age?

Daremos dois exemplos simples e de fácil compreensão sobre como funciona o fator de proteção solar.

Peles claras

As peles mais claras costumam sentir os efeitos do sol mais rapidamente do que uma pele mais escura. Se a pele sem proteção sofre eritema após 7 minutos de exposição ao sol, utilizando um protetor solar de FPS 15, significa que ela estará protegida 15 vezes mais, ou seja, por 105 minutos.

Peles escuras

Já as peles mais escuras demoram um pouco mais para sofrerem eritema. Se uma pele que, sem proteção, sofre os efeitos da exposição solar após 10 minutos e utiliza um protetor solar de FPS 30, significa que ela estará protegida 30 vezes mais, ou seja, por 300 minutos.



Riscos da radiação solar

As radiações solares que atingem a pele são do tipo ultravioleta (UV), imperceptíveis aos olhos humanos e que geram queimaduras, envelhecimento precoce, manchas irreversíveis e até câncer. Elas são classificadas em:

  • UVA, que atingem as camadas mais profundas da pele, uma vez que são pouco atenuados pela camada de ozônio;
  • UVB, que são parcialmente absorvidos pela camada de ozônio e que não penetram nas camadas mais profundas da pele;
  • UVC, que são completamente absorvidos pela camada de ozônio e que não acometem a Terra. Mas, através de fontes artificiais, a radiação é aplicada para a esterilização de materiais cirúrgicos e tratamento de água, por possuir propriedade bactericida.

Porém, é importante ressaltar que a exposição aos raios UV sem proteção pode causar vermelhidão, queimaduras, problemas da córnea, envelhecimento precoce e até o câncer de pele, mas, em quantidades corretas, trazem benefícios para a saúde como a fixação da vitamina D.

Como é determinado o índice do FPS?

O FPS (fator de proteção solar) é determinado a partir do DME – dose mínima de eritema, ou seja, o tempo mínimo de exposição aos raios solares para que ocorra a vermelhidão da pele. Assim, o FPS é definido pela razão do DME de uma pele protegida pelo DME da pele desprotegida.

Quanto à numeração encontrada nos protetores solares trata-se de uma convenção internacional regulamentada por órgãos reguladores de medicamentos e definido através de vários testes realizados em pessoas com diferentes tipos de pele. Desta forma, surgem os números 2, 4, 6, 8, 15, etc.

Diferença entre protetor, bronzeador e bloqueador solar

Mesmo que os protetores, bronzeadores e bloqueadores apresentem fator de proteção solar, existe uma grande diferença entre eles. Veja só!

Protetor solar

O protetor solar é utilizado para proteger a pele dos raios ultravioleta UVA e UVB, que causam vermelhidão, queimaduras, envelhecimento precoce e, com a exposição prolongada, até câncer.

Bronzeador solar

Como maneira natural de se proteger aos raios UVA e UVB, a pele produz melanina, que resulta em um escurecimento da pele. Para acelerar a produção natural de melanina e induzir a uma maior pigmentação, a indústria criou um produto composto por tirosina, um aminoácido que age sobre as células responsáveis pela produção de melanina.

Ou seja, o bronzeador acelera a queima das células para um bronzeamento mais rápido, enquanto que o protetor cria um escudo artificial contra os efeitos prejudiciais dos raios UV. De acordo com especialistas em dermatologia, o correto é utilizar os dois produtos, ao mesmo tempo, para que se obtenha um efeito mais eficiente.

Bloqueador solar

Assim como o protetor, o bloqueador solar protege a pele dos efeitos nocivos dos raios UV, mas apresenta algumas diferenças em sua formulação. Os bloqueadores possuem óxido de zinco e dióxido de titânio em sua fórmula, substâncias responsáveis por bloquearem completamente a penetração dos raios na pele.

Tanto o óxido de zinco, como o dióxido de titânio asseguram uma maior e mais efetiva proteção por refletirem por completo a radiação solar. O bloqueador solar é utilizado, geralmente, por pessoas com pele muito clara e extremamente sensível.

FPT e o excesso de sol

Muitas pessoas acreditam que podem exagerar na exposição ao sol por terem utilizado um protetor ou um bloqueador. Mas, não é bem assim. O excesso de exposição solar é perigoso até com protetores.

Para que o protetor e o bloqueador surtam os efeitos esperados é necessário que ele seja espalhado corretamente sobre a pele, em quantidades adequadas (2 mg/cm²), bem como a sua reaplicação também é muito importante.

Segundo especialistas em dermatologia, a reaplicação do produto na pele deve ser feita em intervalos regulares. Dessa forma, no dia-a-dia, a reaplicação deverá ser feita a cada 4h. Já quando a exposição solar é mais intensa, como na praia ou na piscina, deve ser feita a cada 2 h, independentemente do FPS.

Então, atenção! De nada adianta usar um FPS alto uma vez ao dia, ou baixo, várias vezes ao dia, e se expor exageradamente ao sol.

FPS para cada tipo de pele

Como já foi esclarecido, o fator de proteção solar quantifica a proteção que um filtro, bronzeador ou bloqueador é capaz de oferecer quando a pele é exposta ao sol, contra eritema e queimaduras, se comparado à exposição sem proteção.

No entanto, como existem diferentes tipos de pele, o FPS também deve ser ajustado à elas, bem como respeitado os horários ideais para a exposição solar evitando entre 10 a 16 h e, usando outros protetores como bonés, óculos de sol, chapéus, por exemplo.

Confira quais são os fatores de proteção solar mais indicados para cada tipo de pele.

Peles extremamente claras

As peles extremamente claras sofrem muito com os raios UV apresentando rapidamente eritema são muito suscetíveis à queimaduras, manchas e sardas, além de terem muita dificuldade em conseguir um bronzeamento. Dessa maneira, os protetores devem ser altamente eficazes sendo indicados os com FPS 60, no mínimo.

Pele clara

As peles claras também apresentam dificuldades em conseguir um bronzeado saudável, desenvolvem rapidamente eritema, por produzirem pouca melanina, um filtro natural que protege a pele dos raios UV. Assim, o ideal é optar por produtos que ofereçam um FPS de, no mínimo, 50.

Pele morena

A tendência das pessoas com pele morena é de obter um bronzeamento mais rápido, quase não sofrem com eritema e queimaduras, mas também necessitam de filtro solar para se protegerem dos raios UV. É indicado o uso de produtos com FPS entre 35 a 40.

Pele negra

A maior concentração de melanina presente na pele negra evita que ela sofra com eritema, queimaduras e ardência após a exposição solar. Entretanto, elas não estão imunes em desenvolver câncer quando expostas aos raios UV sem proteção. Assim, o indicado é usar produtos com FPS 15, no mínimo.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */