Saúde Terapias

Fitoterapia: descubra como e quando surgiu essa terapia complementar

Fitoterapia origem

A fitoterapia – cura de doenças por meio da utilização de plantas – é uma das terapias complementares mais procuradas no Brasil.

Prática antiga, a fitoterapia surgiu há milhares de anos, sendo a única fonte de cura para diversas doenças enfrentadas pelo ser humano.

Mas você sabe como e quando surgiu a fitoterapia? Conhece a história desta prática milenar? Leia este post e descubra a origem da fitoterapia!

A origem da fitoterapia

Não se sabe ao certo qual foi a origem da fitoterapia, já que as plantas eram o único recurso para tratar doenças na antiguidade e diversas civilizações faziam uso delas para praticar a cura.

Veja também: Conheça as vantagens e desvantagens da fitoterapia

Acredita-se que a fitoterapia tenha sido a forma de tratamento de doenças mais antiga do mundo e que tenha partido da observação das pessoas sobre o comportamento de animais herbívoros.

Existe um relato muito antigo de que monges religiosos, ao observarem seus animais caseiros se alimentando de grãos de café e percebendo seus efeitos sobre eles, criaram a bebida para que pudessem se manter acordados por mais tempo durante as vigílias. Isso motivou o interesse sobre a ação das plantas no nosso organismo.



A história da fitoterapia

O registro mais antigo que se tem da fitoterapia provém da China, e diz respeito a anotações feitas pelo imperador Cho-Chin-Ken há 3 mil anos a.c.

Em seus textos ele descrevia as propriedades das plantas medicinais cânfora e ginseng dando início a uma série de descobertas que passariam a ser catalogadas a partir de então, tanto na China quanto em outras partes do mundo.

No Egito Antigo, plantas, metais e venenos de alguns animais eram utilizados como medicamento. Foram encontrados registros de pelo menos 700 tipos de drogas para uso medicinal relatados num papiro de 1.500 anos a.c. Os assírios, e os hebreus também cultivavam estas plantas para a produção de tais drogas.

Posteriormente, na Grécia Antiga (460-377 a.c.), Hipócrates, conhecido como o Pai da Medicina, descreveu os conhecimentos médicos daquele tempo em seus escritos, com indicações de plantas para cada tipo de doença.

No entanto, a principal referência da fitoterapia no Ocidente vem dos escritos do grego Dioscórides, que em seu livro “De Matéria Médica”, descreveu 600 espécies de plantas, seguidas de ilustrações e indicações para uso.

Fitoterapia na China

Como dissemos acima, os primeiros registros da fitoterapia vêm da China, o que faz com que esta terapia seja bastante popular e muito praticada atualmente neste país.

Por lá, essa especialidade usa não apenas as plantas, mas também minerais e animais. Seus princípios são similares ao da homeopatia e se apoiam no conceito de energias e na utilização de matérias primas que vão além das plantas.

A fitoterapia chinesa se baseia nos seguintes pilares: os cinco sabores, as quatro naturezas, os pontos meridianos e as energias complementares (Yin e Yang).

Além disso, ela categoriza as plantas em venenosas, medicinais, revigorantes para o corpo e para tratamento do espírito.

Fitoterapia no Brasil

No Brasil, os conhecimentos de fitoterapia originaram-se por meio das tribos indígenas, que desde sempre utilizaram as plantas para tratar doenças.

Esse conhecimento foi sendo transmitido pelas gerações e enriquecendo através dos anos com a chegada dos escravos e jesuítas europeus, que trouxeram consigo seus conhecimentos sobre as plantas.

Vale ressaltar que muitas das plantas descobertas no passado são utilizadas hoje pela botânica e tem seus efeitos benéficos comprovados, o que faz com que a fitoterapia seja um dos tratamentos complementares mais procurados do Brasil.

Você já conhecia as origens da fitoterapia? Sabia que ela era uma prática tão antiga? Compartilhe!

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Juliana Mitsuda

/* ]]> */