Remédios Saúde

O que é Glucagon? Saiba para que serve e como usar

O pâncreas é uma glândula que age tanto no sistema digestório (produzindo o suco pancreático que auxilia no processo digestivo) quanto no endócrino. Dessa forma, é conhecido como uma glândula mista (anfícrina).

Fixando-se na sua porção endócrina, o pâncreas possui um conjunto de células conhecidas como ilhotas de Langerhans, que produzem dois homônimos antagonistas: insulina e glucagon.

O que é Glucagon?

O glucagon (ou glicagina) é um hormônio sintetizado nas células alfa do pâncreas, sendo que a sua secreção aumenta de volume quando os níveis de glicose no sangue diminuem (geralmente quando ficamos muitas horas sem comer).

O controle do hormônio no organismo é feito fisiologicamente através de fatores como a hipoglicemia, estresse, exercício, estímulo vagal ou baixos níveis de ácidos graxos.

Após a produção, o hormônio pode ser imediatamente secretado ou ficar estocado em vesículas secretórias das células. O metabolismo do glucagon é pulsátil, sendo eles regulados pelo sistema nervoso.

Como funciona?

O glucagon é conhecido por seu efeito antagônico ao da insulina, pois ele aumenta a taxa glicêmica (ou seja, o nível de glicose presente no sangue), atuando na conversão da ATP (trifosfato de adenosina) para o AMP-cíclico (Monofosfato cíclico de adenosina), substância muito importante para o início da glicogenólise (degradação de glicogênio), dessa forma fazendo o fígado liberar de forma sucessiva a glicose que é lançada na corrente sanguínea.

Uso

Glucagon_Preparation_Procedure_4



A hipoglicemia acontece em casos de indivíduos que apresentam diabetes, de forma que a insulina presente no organismo inibe a síntese de glucagon. Ou, ainda, em pessoas que ficam grandes períodos de tempo sem se alimentar. Assim, nos casos graves onde não consiga uma ingestão rápida de alimentos, coma, desmaios e convulsões, a forma injetável é a mais recomendada.

É administrada uma dose de 1mg do hormônio através de injeção intramuscular. Dessa forma, os níveis glicêmicos aumentam rapidamente. A aplicação injetável do glucagon é muito semelhante à da insulina, sendo aplicado nos mesmos lugares.

Os efeitos colaterais podem aparecer através de vômito e náuseas. Lembrando que o uso de qualquer medicamento deve ser feito através de prescrição médica, de acordo com a necessidade biológica e patológica de cada indivíduo e sua aplicação deve seguir o protocolo e a orientação da equipe médica.

Patologia

Apesar de muito rara, existe uma patologia associada ao glucagon conhecida por glucagonoma, que é uma proliferação inadequada do tecido celular alfa, levando à produção excessiva do hormônio.

O controle da patologia é feito através da administração de hormônio análogo, que inibe a liberação do glucagon. Até os dias atuais, a cura só é alcançada através da ressecção cirúrgica.

Fatores genéticos, ambientais e culturais podem desencadear uma série de irregularidades na síntese do hormônio glucagon, assim como na de seu antagonista, a insulina, provocando algumas doenças comprometendo a forma regular do organismo.

Sendo assim, o mecanismo de sintetização do glucagon também é inserido na regulação da concentração de glicose no sangue. Porém, a síntese do hormônio glucagon é geralmente ativada em períodos de desnutrição ou de realização de exercícios intensos, já que os dois diminuem o nível de glicose do organismo. Portanto, essa ativação consegue regular os níveis evitando complicações hiperglicêmicas.

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Raiane

/* ]]> */