Maternidade

Infecção urinária na gravidez: causas, sintomas e tratamento

Saiba quais são os sintomas da infecção urinária na gravidez, os possíveis riscos e complicações da doença, como é o diagnóstico, tratamento e como evitar.

Predisposição para infecção urinária na gravidez

Segundo a medicina, é comum e normal ter um episódio de infecção urinária na gestação. Isso porque as alterações que acontecem no organismo feminino no decorrer da gravidez podem favorecer o desenvolvimento de alguns tipos de bactérias presentes na bexiga e na uretra.

Embora seja uma doença com alguns sintomas desagradáveis, a infecção urinária na gravidez dificilmente pode vir a prejudicar o feto e pode ser facilmente tratada através de antibióticos recomendados por um profissional.

Não é recomendado iniciar a automedicação durante a gestação sem a orientação de um médico. O ideal é procurar um consultório o mais rápido possível para que exames sejam feitos e a medicação correta possa ser iniciada com supervisão médica.

A infeção urinária, também conhecida pelo nome de cistite, é provocada na maioria dos casos por uma bactéria chamada Escherichia Coli, que faz parte da flora intestinal.

Durante a gestação, é normal o aumento da circulação sanguínea na região genital, o que faz com que a lubrificação vaginal aumente. Tal umidade auxilia a passagem de bactérias do ânus para a vagina e uretra. Este processo facilita a incidência de infecção urinária na gravidez.

O aumento do volume e tamanho do útero também causa compressão da uretra e, com isso, a urina pode ficar retina no trato urinário, o que facilita ainda mais a infecção urinária.

Veja também:

Cólica na gravidez: saiba as causas e como aliviar as dores

Varizes na gravidez: saiba as causas e como tratar o problema

Sintomas da infecção urinária na gravidez

Durante a gestação, pode se tonar um pouco mais difícil diferenciar os sintomas da infecção urinária de um simples desconforto. Portanto, esteja bem atenta quanto a qualquer um desses sintomas e, havendo a presença de algum deles, procure um médico:

  1. Vontade frequente de urinar (quase sempre em pouca quantidade);
  2. Febre persistente;
  3. Sensação incômoda de não conseguir esvaziar a bexiga;
  4. Urina turva, muito amarelada ou com presença de sangue;
  5. Sensação de peso ou desconforto na bexiga;
  6. Dor ou sensação de queimação ao urinar.

Como é feito o diagnóstico?

Para confirmar o diagnóstico de infecção urinária na gravidez é feito um exame de coleta de urina comum.

Grande parte dos obstetras e ginecologistas que acompanham as gestações costumam solicitar exames de coleta e urina a cada trimestre.

Essa é uma forma eficiente de evitar possíveis complicações de uma infecção urinária na gravidez.

O que nem todo mundo sabe é que existem testes caseiros de infecção urinária, que podem ser comprados pela própria gestante em uma farmácia, que mostram os resultados de forma imediata, assim como em um teste de gravidez de farmácia! Bem interessante, não?

Veja também:

Pés inchados na gravidez: causas e cuidados

Acne na gravidez: cuidados, tratamentos e detalhes sobre o quadro

Enxaqueca na gravidez: conheça as principais causas

Possíveis complicações graves

As possíveis complicações da infecção urinária na gravidez são mais preocupantes nos casos mais graves da doença. Por isso, é importante procurar ajuda médica ao menor sinal ou sintoma de infecção.

Dentre as possíveis complicações e riscos que uma infecção urinária pode trazer para o bebê e para a gestante estão:

Parto prematuro

As toxinas produzidas pelas bactérias nocivas da infecção urinária podem aumentar as contrações do útero e levar a um trabalho de parto antes da hora prevista.

Baixo peso do bebê

Um quadro de infecção urinária grave na gestação pode complicar a absorção de nutrientes para o bebê, o que ocasiona baixo peso e complicações, como dificuldade para respirar e hipoglicemia ao recém-nascido.

Infecção neonatal

No caso de parto normal, a infecção urinária no fim da gravidez pode permitir a passagem de bactérias nocivas para o bebê no momento do nascimento, o que pode ocasionar infecção generalizada no recém-nascido.

Sepse materna

Em casos muito graves, onde a infecção urinária na gestante não foi tratada, a mãe pode apresentar sintomas como febre alta, dores de cabeça, náuseas e infecção generalizada.

Em condições debilitadas de saúde, a gestante pode entrar em quadros clínicos complicados na hora do parto, o que pode acarretar até mesmo o óbito.

Como evitar a infecção urinária na gravidez

Quanto mais vezes você urinar, mais estará contribuindo para que a infecção urinária seja evitada. Isso porque a urina elimina as bactérias presentes na bexiga e higieniza as vias uretrais. Portanto, esqueça o mau hábito de “segurar o xixi”, o que não é nem um pouco saudável.

Um hábito bem comum entre as mulheres e que funciona como uma medida preventiva para infecção urinária na gravidez é o ato de urinar após as relações sexuais. Dessa forma, as bactérias que já estiverem na região da vulva e vagina podem ir embora com mais facilidade.

Sempre lave muito bem as mãos e beba muito líquido, principalmente nas estações mais quentes. Além de nos manter hidratados e evitar a desidratação também pode manter a imunidade ainda melhor e evitar o aparecimento de doenças virais e bacterianas.

Outro hábito que pode contribuir e muito para sua saúde íntima e, ainda, evitar a aparecimento da infecção urinária na gravidez é utilizar calcinhas de algodão, já que esse material facilidade a respiração da pele e evita a formação de fungos e bactérias nocivas.

Se possível, tente ficar sem calcinha na hora de dormir, para que a circulação de ar na região da vulva aumente. Esse hábito muito simples pode auxiliar e muito para sua saúde ginecológica.

Tratamento para infecção urinária na gravidez

Por conta do uso de medicamentos ser um tanto quanto restrito e exigir ainda mais cautela no caso das gestantes, o tratamento para infecção urinária na gravidez deve ser passado pelo obstetra ou ginecologista que acompanha a gestação da mulher.

Geralmente, o tratamento é feito à base de antibióticos específicos e com o consumo de chás liberados para gestantes que auxiliem no processo diurético dos líquidos.

O mais importante é seguir os exames e recomendações de seu pré-natal à risca, respeitar as orientações de seu médico e fazer consultas periódicas durante toda a gravidez.

Se atente aos hábitos já citados que podem evitar o aparecimento de uma infecção urinária e, ao menor sintoma, procure seu médico de confiança. Até a próxima!

Sobre o autor

Raiane