Cabelos

Lantionina para alisar os cabelos: funciona? Como usar?

Lantionina

Nos últimos anos, muito tem se falado a respeito da lantionina e sobre como teoricamente ela age no alisamento dos fios de cabelo. Mas o que ela é exatamente? E até que ponto tudo aquilo que é dito a seu respeito pode ser verdade?

Na sequência procuramos esclarecer essas e outras dúvidas, mostrando ainda como o uso de produtos que causam esse efeito podem exigir uma série de cuidados. Siga conosco e confira tudo sobre o assunto.

O que é a Lantionina?

Diferente do que muitos imaginam, a lantionina não é um produto, longe disso. Na prática, trata-se de uma espécie de aminoácido que pode contribuir com o relaxamento do cabelo e em consequência disso proporcionar um alisamento definitivo.

Dito isso, a maior dúvida que surge diz respeito aos meios para obter esse aminoácido. A resposta nesse caso, é que isso é possível através de produtos que podem proporcionar esse tipo de substância. Para compreender essa parte, no entanto, é importante que haja entendimento sobre o processo de alisamento dos fios.

Como funciona o alisamento de cabelo?

Antes de qualquer outra coisa, o que precisamos ter em mente aqui é que o cabelo possui pontes de dissulfeto. Elas são basicamente as responsáveis pela forma que os fios apresentam e também por ligarem as proteínas no eixo do cabelo.

Na prática, portanto, elas influenciam diretamente no tipo de cabelo que uma pessoa tem, pois um alto volume de ligações resulta em fios crespos. Em consequência disso, o produto usado no alisamento deve ser mais potente.

De modo geral, portanto, para alisar o cabelo definitivamente é fundamental que os produtos ofereçam ou produzam substância capaz de quebrar as pontes de dissulfeto da queratina.

Dentre elas, podemos destacar o hidróxido de sódio e o de guanidina. Na sequência falamos detalhadamente sobre cada uma e também mostramos onde a lantionina entra nessa história.

Hidróxido de sódio

Conhecido popularmente como soda cáustica, esse tipo de alisante é o mais potente entre os utilizados para relaxamento e alisamento definitivo. A razão é que ele é composto por um pH extremamente alcalino, que causa abertura nas cutículas dos fios e proporciona melhor penetração do produto.

De acordo com especialistas, em um alisamento o efeito é mais duradouro em comparação com um relaxamento, mas nos dois casos sua atuação é a mesma. Isso porque a substância age quebrando as pontes de dissulfeto da queratina, que é justamente o que falamos anteriormente.

Esse processo ocorre quando lantionina – olha ela aí – substitui um terço dos aminoácidos de cistina. A consequência disso é que o fio sofre um relaxamento, o que dá ao profissional a possibilidade de finalizar o alisamento conforme desejado.

Isso porque após a conclusão do processo é preciso aplicar uma substância de teor ácido que serve para fazer o fechamento das cutículas e refazer as pontes.

Hidróxido de guanidina

No caso da guanidina o processo é bastante similar, o detalhe, porém, é que este é um produto menos potente, o que traz vantagens e desvantagens. O ponto positivo fica por conta de sua ação ser menos nociva à saúde do couro cabeludo, já que o hidróxido de sódio pode até causar queimaduras graves.

O ponto negativo, no entanto, é que o efeito pode ser menos duradouro, uma vez que se trata de um produto de potência reduzida. De todo modo, porém, vale destacar que as concentrações dos produtos devem seguir à risca as regras de compatibilidade. Além disso, ambos os produtos só devem ser manuseados por profissionais.

Por último, é importante dizer que com o uso desse produto também ocorre a substituição dos aminoácidos de cistina pela lantionina.

É possível alisar o cabelo sem lantionina?

De modo geral, podemos dizer que além das substâncias mais comuns que são as que já citamos, existe uma opção que não necessariamente funciona oferecendo a lantionina. Isso não significa, no entanto, que não seja necessário o uso de produto químico.

Nesse caso, estamos falando do tioglicolato de amônia. Ele age quebrando as pontes de dissulfeto dos aminoácidos de cistina, mas dá origem a uma formação dupla para cada cistina.

Dessa forma, ocorre um inchaço na queratina, o que torna os fios mais maleáveis, permitindo um alisamento. Para finalização com o resultado desejado é preciso que o profissional utilize um oxidante, que é o que vai interromper o processo.

É possível alisar o cabelo com óleos naturais?

Depois de entender sobre os processos, muita gente se assusta com as possibilidades de alisamento capilar, o que é compreensível. Diante disso, é comum que se busque alternativas, como por exemplo, o alisamento com óleos naturais.

A má notícia, porém, é que um alisamento definitivo não é possível utilizando esse método. Isso porque, conforme o que já foi dito, é necessário que ocorra uma alteração química na estrutura interna dos fios, algo que os óleos naturais não podem proporcionar.

Cuidados no uso do hidróxido de sódio e guanidina

Esclarecidos os detalhes sobre o alisamento e onde a lantionina entra nesse processo, é hora de entender os cuidados e precauções no uso de produtos químicos de cabelo.

De antemão, portanto, o primeiro cuidado fundamental que qualquer pessoa deve ter é o de nunca fazer o uso desses produtos sem o auxílio de um profissional qualificado. Isso significa, portanto, que a auto aplicação é absolutamente contraindicada.

  • Dito isso, os demais cuidados se estendem também aos profissionais. A lista inclui:
  • Realizar diagnóstico dos cabelos antes de processar a química nos fios;
  • Trabalhar com uma política de cuidados pós-química;
  • Informar o interessado sobre possíveis efeitos colaterais do uso das substâncias – incluindo possíveis danos ao couro cabeludo;
  • Domínio completo sobre o produto, seu tempo de ação e manuseio ideal; e
  • Medidas de segurança para lidar com imprevistos.

Por último, é importante destacar aqui que, ao optar por um produto baseado no hidróxido de sódio, é preciso atenção às concentrações do mesmo. Isso porque quanto maior o seu índice de pH, maior também tende a ser o dano causado à fibra dos fios de cabelo. Não por acaso, especialistas recomendam um alisante de baixa concentração.

Sobre o autor

Redação Tudo Ela

Site focado em publicar conteúdo atual e interessante sobre o universo feminino. Fazemos curadoria e pesquisamos dicas úteis para o dia-a-dia da mulher moderna. Saiba mais sobre nós.