Nutrição

Leite pasteurizado, suas características e, afinal, ferver ou não ferver?

Algumas questões a respeito do leite pasteurizado ainda geram muitas dúvidas nas pessoas que o consomem. Ferver ou não ferver um leite que já foi tratado com a intenção de matar as bactérias nocivas. No artigo de hoje você vai entender essas e muitas outras questões a respeito desse alimento tão importante para a saúde humana.

O leite é um dos alimentos mais consumidos do mundo e também um dos que mais contaminam, levando muitas vezes ao óbito.

Saber para que serve cada processo de descontaminação do leite é muito importante antes de consumi-lo. Será que ferver esse tipo de alimento é um procedimento adequado?

O leite pasteurizado é considerado o mais seguro para consumo humano, pois em seu processo de limpeza, consegue descartar todas as impurezas do leite de maneira segura.

Não é novidade que o leite é um dos alimentos mais ricos em vitaminas e minerais para o organismo humano. Existem diferentes tipos que são apropriados para consumo, como o leite de vaca, cabra e ovelha.

O que é o leite pasteurizado e como são os seus processos

O processo de pasteurização que o leite sofre serve para que o consumidor tenha garantia de que estará consumindo um leite seguro e sem contaminações por microrganismos, responsáveis por causar doenças nocivas ao corpo humano.



O leite pasteurizado sofre um processo térmico de alta e baixa temperatura. As altas temperaturas que esse leite passa é de 71ºC a 75ºC. Essas temperaturas são inferiores ao processo de ebulição. Quando atingem essa marca, são resfriados quase que instantaneamente.

Com esse processo de pasteurização, além da destruição dos microrganismos nocivos, há também a destruição de quase toda a flora de bactérias, ocorrendo apenas algumas pequenas modificações organolépticas das propriedades do leite.

Existem dois processos muito importantes de pasteurização do leite. Um processo é chamado de pasteurização muito rápida e pasteurização lenta.

Quais são as diferenças entre a rápida e a lenta?

Pasteurização com o processo lento

Esse processo de pasteurização lento é muito mais utilizado em indústrias de pequeno porte, pois exige-se algumas manipulações humanas.

Neste processo, o leite é aquecido em cilindros na posição vertical que contenham paredes duplas, a temperaturas que chegam a 65ºC. O leite deve ser aquecido e em agitação constante por cerca de 30 minutos. Depois de efetuado esse aquecimento, o leite é submetido a temperaturas muito baixas, cerca de 4ºC a 5ºC.

A pasteurização nesse tipo de processo é extremamente lenta, precisa ter paciência para obter o produto pronto para o consumo.

Pasteurização feita com um processo bem rápido

Esse processo de pasteurização é feito também em um tanque cilíndrico de posição vertical com as paredes duplas, com agitador. Neste aparelho para esse processo são utilizadas placas de aço inox, onde o leite circula entre essas placas, resfriando ou aquecendo.

O circuito desses aparelhos é fechado, as camadas são bem finas, existe o abrigo da luz e do ar.

As temperaturas de aquecimento são de 71ºC a 75ºC em um período de 15 segundos. Já as temperaturas para resfriamento chegam a 2ºC e 3ºC.

O leite pasteurizado em processo rápido apresenta algumas vantagens dos que foram pasteurizados de maneira lenta.

As empresas grandes utilizam esse tipo de processo, pois existe uma economia muito maior em questões de mão de obra, existe uma maior economia de energia, os aparelhos são pequenos, ocupando um espaço menor.

É preciso entender, que os processos de pasteurização servem para livras o leite de possíveis microrganismos nocivos. Esse processo não recupera leite estragado, ele faz com que o leite se mantenha conservado, com todas as suas propriedades nutritivas, físicas e organolépticas intactas.

O leite pasteurizado é um produto muito mais seguro para a saúde humana, pois a destruição dos microrganismos nocivos, que transmitem doenças é quase certa. Pode experimentar, os produtos derivados do leite e que sejam pasteurizados possuem um sabor mais agradável, são mais consistentes e mais conservados.

A conservação do leite pasteurizado deve ser em refrigeradores. É muito importante que você o resfrie rapidamente, após o transporte da padaria até a sua residência, por exemplo.

Refrigerar o leite pasteurizado é muito importante para que ele se mantenha adequado para o consumo por mais tempo. Mesmo que ele tenha passado por esse processo de pasteurização e a maioria das bactérias tenham morrido, algumas infelizmente sobrevivem, elas não são nem um pouco nocivas a saúde humana, mas estragam o leite com mais rapidez.

Usou o leite? Não deixe ele na mesa e fora da geladeira por um período muito grande, pois ele precisa ser resfriado rapidamente. A matemática é simples, quanto mais tempo fora da geladeira, mais rápido ele vai azedar.

Quais são os tipos de leite pasteurizado?

O leite pasteurizado é classificado de acordo com a forma que ele foi obtido. Os do tipo A são os mais seguros, pois eles contém uma quantidade menor de microrganismos nocivos à saúde e são embalados e pasteurizados na própria fazenda onde são produzidos.

Os leites do tipo B ocorre o transporte até a indústria que vai fazer esse processo, ou seja, podem ocorrer contaminações. Os do tipo C, contém mais gordura e um número muito maior de microrganismos do que os outros tipos.

Você encontra esses tipos em diferentes embalagens, como os saquinhos de plástico, caixinhas cartonadas e garrafas de plástico. Os mais comuns encontrados em diferentes regiões são os saquinhos de plástico.

Preciso ferver o leite pasteurizado?

A resposta é não!

Você não precisa ferver o leite pasteurizado igual a sua avó te ensinou. O leite pasteurizado foi submetido a temperaturas altas que chegam a 75ºC. Essas temperaturas conseguem matar todos os microrganismos nocivos, mas também preservar os benéficos como os lactobacilos, excelentes aliados para a manutenção da nossa flora intestinal.

Quando você ferve o leite, a temperatura pode chegar a 100ºC, isso significa que tanto as bactérias boas como as ruins foram mortas, além de separar as proteínas. Essas inclusive podem ser notadas no fundo da leiteira depois do processo de fervura.

Para se ter uma ideia como essa questão é importante e que o leite pasteurizado não deve ser fervido, que a lei obriga as empresas a submeterem o leite apenas a temperaturas que variam entre 70ºC a 80ºC.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */