Recomendados para você
Saúde Terapias

Liberação miofascial: menos lesões e dores musculares

O nome pode parecer complicado, mas saiba que a liberação miofascial pode te ajudar muito — e sem ser tão complicada quanto pode parecer à primeira vista.

Ficou curiosa? Acompanhe o nosso texto e descubra tudo sobre a prática e como ela pode melhorar suas dores musculares, diminuir suas lesões e fazer seus exercícios progredirem consideravelmente.

Veja também – Contratura muscular: entenda suas causas e saiba evitar

Afinal, o que é liberação miofascial?

Mio vem de músculo e fascial significa que tem relação com a fáscia. Nunca ouviu falar dela? Não tem problema!

A fáscia é uma espécie de membrana que envolve o seu músculo. Ela está no seu corpo inteiro e é interconectada. Onde fica? Bem abaixo da pele e ao redor dos músculos.

Isso quer dizer que se houver algum problema com a fáscia, seus exercícios podem não funcionar muito bem ou provocar dores e lesões. E é para evitar isso que existe a liberação miofascial.

A curiosidade sobre como ou porque a fáscia pode prejudicar o seu corpo geralmente é grande. Por isso mesmo, tentaremos abordar o assunto minuciosamente aqui.

Como assim a fáscia pode me prejudicar?

Na verdade ela não pode. Ela existe para proteger o seu músculo, o que quer dizer que é benéfica. Porém, como muita gente esquece de fazer a liberação miofascial, ela pode acabar ocasionando lesões.

Isto acontece por um motivo simples: nós costumamos fazer exercícios repetitivos ou mesmo ficar na mesma posição por muito tempo. A fáscia é um tecido muito elástico, porém, ela adquire certas formas e, se não for corretamente “esticada” pode criar nódulos de tensão, lesões e até mesmo prejudicar os seus músculos. E é isso que, na realidade, pode prejudicar o seu desempenho.

Veja também – Ornitina favorece produção do hormônio do crescimento e a massa muscular

Há uma porção de fatores que podem causar danos na fáscia: movimentos repetitivos, tensão emocional, prática de esportes sem supervisionamento (e, portanto, que podem causar danos ao corpo) e até o sedentarismo somado à má postura.

A liberação miofascial foi criada para ajudar a evitar esses efeitos negativos e fazer com que você consiga sempre o melhor resultado nas suas atividades físicas.

Quem precisa fazer liberação miofascial?

Embora a técnica seja mais comum entre corredores e fisiculturistas (ou bodybuilders), ela deveria ser praticada por todo mundo. Mesmo quem não costuma se exercitar muito pode se beneficiar da liberação miofascial.

A prática pode ser considerada uma espécie de massagem, e pode ser feita com a ajuda de terceiros (um massagista, fisioterapeuta ou personal trainer) ou mesmo sozinho. Porém, você precisa de alguns dos acessórios indicados abaixo para que tudo dê certo.

  • Rolo – este é o maior dos acessórios. Não deve ser confundido com rolos usados para algumas outras atividades físicas. Ele precisa ser rígido o bastante para sustentar o seu peso quando você for usá-lo. Só assim o resultado será satisfatório.
  • Bola de golfe ou tênis – Elas ajudam em áreas menores, como os pés. Por serem rígidas, não vão ceder quando dispuser o peso sobre elas.
  • Bastão – Neste caso, você pode usar um cano de PVC forte e encapá-lo com silver tape ou algo que ajude a deixar a superfície um pouco menos escorregadia. Ele serve para ajudar em áreas que os demais têm mais dificuldade de acesso, como a lateral do corpo.

Tendo as ferramentas em mãos, vamos aprender um pouquinho mais sobre a prática e seus benefícios.

Quando fazer?

A resposta mais simples é: quando você quiser. Pode ser no meio do dia, na hora que de der vontade. Pode ser antes de um treino ou depois dele.

O importante é que faça e que tenha em mente que, dependendo do momento escolhido, os efeitos podem ser um pouquinho diferentes.

Pré-treino

Se escolher fazer a liberação miofascial antes de treinar, ela pode servir como um complemento para o seu aquecimento. Neste caso, ela vai ajudar seus músculos a executar movimentos com mais facilidade e elasticidade, aumentando também a mobilidade das suas articulações.

Veja também – Receitas para o pré-treino: disposição, saúde e músculos em dia

Pós-treino

Fazer sua liberação miofascial depois de treinar também traz diversos benefícios. Ela pode ajudar a liberar a tensão causada nos músculos, prevenir lesões, ajudar no relaxamento da musculatura exercitada e ainda é uma ótima forma de auxiliar a liberação do ácido lático.

Veja também – Receitas para o pós-treino: recupere músculos e energia com sabor

A qualquer hora

Como dito antes, a liberação miofascial traz diversos benefícios para o seu corpo. Ela pode ajudar você a se sentir com muito mais disposição, por exemplo. Ela também tem diversos benefícios para a postura. Se você passa muito tempo sentada em uma mesma posição, ela pode ajudar a melhorar e recuperar a mobilidade das suas costas, o que trará inclusive benefíciosa para sua postura.

Além de todas as vantagens físicas, fazer a liberação ainda pode te ajudar a liberar a tensão do stress do dia a dia.

Como fazer?

A  liberação miofascial é razoavelmente simples de se fazer e, como dissemos, você pode fazer sozinha. Como você tem músculos no corpo inteiro, isso quer dizer que pode ajudar a fáscia de qualquer parte do corpo a se modelar corretamente.

A questão de como fazer isso, porém, pode ter alguns truques. Porém, nada que possa assustar. O ideal é manter sempre uma respiração calma e profunda, além de realmente deixar que o peso do seu corpo ajude a executar a liberação.

Massagem pode ser um pouco dolorida em alguns pontos, não é? O mesmo acontece aqui. A liberação, afinal, não deixa de ser uma espécie de massagem. E o melhor é que os resultados são tão recompensadores quanto.

Existe algum tipo de contraindicação?

É sempre importante consultar algum especialista quando for começar uma atividade nova. Além de ensinar as posições corretas para que não corra o risco de se machucar, ele pode avaliar se você está apta a executar o que é proposto.

Este tipo de atividade que ajuda a esticar a fáscia, por exemplo, pode não ser recomendada para algumas pessoas. Exemplos, são:

  • Gestantes;
  • Quem tem lesões musculares pré-existentes;
  • Praticante com lesões ósseas recentes;
  • Pessoa hipersensível à dor;
  • Locais do corpo com hematomas;
  • Pessoas com problemas circulatórios;
  • Quem usa medicamento anticoagulante.

Seja em um momento qualquer do dia ou até no pré ou pós treino, não deixe de praticar a liberação miofascial para garantir que sentirá menos dores e sofrerá menos lesões. A prática traz muitos benefícios para o seu corpo, é muito simples e ainda ajudará você a ter muito mais disposição.

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */