Maternidade

Low Carb durante a amamentação é seguro e benéfico? Explicamos tudo

Quando a mulher ganha o seu bebê, normalmente está entre dez a 15 quilos além do seu peso normal, antes de engravidar. Aí vem a pressão, pessoal e da sociedade – precisa emagrecer! Mas, como, se precisa amamentar e, portanto, comer muito bem? Aí muitas optam pela dieta Low Carb durante a amamentação, que é alimentar-se com baixo teor de carboidrato.

Ainda há muitas discussões nos meios médicos e entre profissionais da saúde sobre a conveniência desse tipo de dieta. A questão é que, ao amamentar, a mulher precisa produzir nutrientes para si e também para a criança. Como enfrentar, então, o fornecimento de nutrientes ao bebê, através do leite, ao mesmo tempo em que reduz a sua ingestão devido a essa dieta Low Carb, baixa em carboidratos?

O perigo que vem com a Low Carb

A amamentação consome carboidratos da mamãe, que são transferidos ao bebê pelo leite, essa a questão. Pesquisadores têm estudado muito o assunto e não há conclusões unânimes. O único que se sabe é que a dieta Low Carb é perigosa para a lactante, embora em pequeno risco. No mundo, sabe-se de uns cinco casos de mamães que fizeram essa dieta durante a amamentação e acabaram acometidas de cetoacidose grave.

Trata-se de doença que afeta diabéticos tipo um, quando chegam a um quadro agudo de deficiência de insulina. Mas, ela também ataca não diabéticos que se submeteram à fome prolongada ou que se alimentaram de forma inadequada e provocaram, mesmo sem querer, deficiência de nutrientes.

Como fazer dieta e ainda amamentar?

Esse é o perigo para a mamãe em dietas Low Carb durante a amamentação. Embora raro, há esse perigo da cetoacidose. É que a mamãe ao amamentar precisa produzir nutrientes para os dois – para si mesma e para o filho que se alimenta través do seu peito.

O período de lactação é muito especial para o corpo humano, o da mamãe. Ocorre a suplementação de carboidratos para que o leite possa alimentar bem a criança e sobrar o suficiente para o corpo da mamãe. Mas, se esta estiver numa dieta de menor consumo de carboidratos, o corpo materno pode sofrer deficiências e isso resultar em doenças leves, como gripes, porque o organismo da mamãe foi exigido além do limite.

Lactante precisa de 210g diárias de carboidratos

Não existem estudos conclusivos sobre os males que uma alimentação pobre em carboidratos pode provocar no corpo da mamãe. Existem aqueles cinco casos no mundo, em que as mulheres acabaram com cetoacidose, mas todas recuperaram-se posteriormente. Ou seja, todos, mamães e bebês, ficaram bem depois.

Existem estudos feitos em animais, mas seus resultados não podem ser totalmente transportados para o corpo humano. E também não são conclusivos. Algumas entidades dos Estados Unidos, onde estes estudos em animais foram realizados, costumam afirmar que uma lactante precisa consumir aproximadamente 210 gramas por dia de carboidratos para a boa formação do leite durante o período de amamentação.

Os cuidados para essa conta fechar

É aí que nasce a preocupação em muitos médicos e profissionais da saúde. Numa rigorosa dieta Low Carb, a recomendação é que o consumo de carboidratos fique abaixo dos 50 gramas por dia, ou seja, a conta não fecha.

Ao fechar a boca para alimentos ricos em carboidratos, como massas, gorduras, arroz e legumes como batatas, a mamãe passa a consumir uma dieta magra e pobre em carboidratos, mas, precisa continuar alimentando o próprio corpo e, ainda, fornecer nutrientes necessários e importantes para o desenvolvimento do seu filho. Por isso há importante veio de médicos e profissionais da saúde, como nutricionistas, que aconselham prudência com essa dieta.

Quem sabe uma Low Carb com prudência

A alternativa, para estes profissionais mais prudentes, é fazer a dieta Low Carb, porém sem baixar demais o consumo de carboidratos. Pode deixar de lado as massas, arroz, pães e biscoitos, mas manter alguma coisa em legumes ricos nesses nutrientes, mas menos agressivos à saúde, como cenoura, batata doce, beterraba e muito em vegetais e legumes.

Nutricionistas, de forma especial, argumentam que, ao cortar bruscamente o consumo de produtos ricos em carboidratos, há um ‘susto’ no organismo, que pode levá-lo ao estresse com essa quebra abrupta no fornecimento de gorduras, por exemplo. Por isso, a prudência seria o mais aconselhado.

Coma muita carne, mas in natura

Se, mesmo assim, apesar dos riscos inerentes a essa vontade muito grande de perder logo os quilos ganhos durante a gravidez persistir, os médicos pedem para a mamãe ficar alerta aos sintomas da cetoacidose. Normalmente, a pessoa terá bastante sede e vontade de beber água, algumas náuseas e dores de cabeça e começa a sentir-se fraca. Nestes casos, corra ao médico, para não prejudicar você e ao bebê.

Tomadas essas precauções, o que é possível comer numa dieta Low Carb durante a amamentação? É possível comer carnes, de quase todo tipo, especialmente in natura. Nada de produtos enlatados ou carnes que já vêm temperadas, porque estas costumam ser carregadas em sódio, entre outros produtos prejudiciais à saúde.

Faça as pazes com as saladas

E quando fala-se em carne, pode comer de todo tipo, seja a bovina, ovelha, porco, peixes, crustáceos, mas, sempre in natura. Nada de industrializados. Como já dito anteriormente, é fundamental carregar em legumes e verduras de todo tipo. São ricos em nutrientes, como vitaminas essenciais ao seu organismo e ao do bebê.

Se você é daquelas pessoas que não se davam muito bem com saladas, então esta é a hora de estabelecer pazes. Saladas são fundamentais numa dieta Low Carb, de forma mais especial ainda para lactantes. Abusar de saladas é uma dica muito importante nestes momentos.

O que está liberado para você

Quanto às frutas, é preciso ter bastante cuidado. São ricas em nutrientes e vitaminas, mas, também em carboidratos devido ao açúcar que todas elas contêm. A frutose vai atrapalhar os seus planos de emagrecer via a Low Carb. No máximo, é possível consumir alguma coisa de coco, morangos, abacate, mirtilo e amoras. Estas têm menos carboidratos.

Dentre os produtos de origem animal, ovos são ótimos neste tipo de dieta, assim como laticínios. Cada ovo possui cerca de 0,8 gramas de carboidrato, ou seja, quase nada. Então, é bom invadir o galinheiro.

Então, prepare-se para o verão

Queijos também são pobres nesse nutriente, menos os tipo branco, como minas frescal, cottage e ricota. Os demais, tudo bem. Se você gosta de amêndoas e nozes, esta é a hora, mas sem exagerar.

Quanto a gorduras, é bom o azeite de oliva e manteiga (nada de margarina). O mínimo de açúcar e não comer ervilha, lentilha ou feijão também é aconselhável na dieta Low Carb durante a amamentação. Feito isso, é renovar a safra de biquínis e maiôs, que o verão está aí.

/* ]]> */