Doenças Saúde

Manchas vermelhas na pele: o que podem ser? Saiba aqui

A diversidade de doenças que podem causar manchas vermelhas na pele é muito grande. Não necessariamente é câncer de pele. Os casos mais comuns são os de alergia, podendo ocorrer por motivos dos mais diversos. Se dentro de um curto prazo as manchas e a coceira não passarem, é capaz de que estejam vinculadas à doenças mais graves, sendo elas dermatológicas, metabólicas, infecciosas ou até psicológicas.

Também podemos distinguir entre aquelas manchas que coçam e as manchas que não coçam. Mas é importante que ao notar a vermelhidão em alguma parte do corpo, procure um médico imediatamente.

Conheça algumas delas, seus sintomas e como tratar:

Assuntos

Alergia

Aquela coceira no corpo seguida de manchas vermelhas na pele surgem quando alguma reação alérgica fomenta as terminações nervosas da epiderme. Ela pode ocorrer por diversos motivos, entre os mais simples o ressecamento, suor ou picada de algum inseto.

Irritações na pele de qualquer tipo podem ocasionar coceiras, sendo bastante comum que causem coceiras. Entre as reações alérgicas, destacam-se:

  • Calor ou suor excessivo;
  • Alimentos;
  • Pó;
  • Ácaros;
  • Picada de inseto;
  • Tecidos, cosméticos ou produtos de limpeza;
  • Pelos de cães e gatos ou plantas;
  • Reações alérgicas a medicamentos.

Essas alergias podem acontecer isoladamente ou simultânea. Se a pessoa tem tendência a alergias comuns desse tipo, elas podem ser leves ou graves. Portanto, procure um dermatologista.



Como tratar: Se forem sintomas leves, um remédio antialérgico como o Loratadina, o uso de corticoides, e ainda a utilização de cremes, indicadas por um dermatologista já são capazes de resolver o problema sem maiores complicações.

Dermatite

Conhecida também como eczema, é uma inflamação na pele, que pode ser de origem genética ou autoimune, quando há um desenvolvimento alérgico crônico no paciente, que resulta em manchas vermelhas na pele.

A dermatite é parecida com as reações alérgicas anteriores, já que também é provocada por agentes irritantes. Estresse, temperaturas baixas ou elevadas, ou se a pele for exposta à água ou sol, podem piorar os sintomas. As formas mais comuns de dermatites são:

  • Dermatite atópica: comum nas dobras, é acompanhada de vermelhidão, inchaço e descamação;
  • Dermatite seborreica: causa descamação e vermelhidão na pele, principalmente no couro cabeludo;
  • Dermatite de contato: vermelhidão, coceira intensa e bolhas em locais da pele que entraram em contato com algum elemento irritante, sendo desde uma bijuteria a um cosmético;
  • Dermatite herpetiforme: reação inflamatória em forma de bolhas que levam à coceira, parecidas com a herpes, sendo frequente em pessoas com doenças celíacas;
  • Psoríase: doença crônica de pele que gera inflamação e hiper proliferação das células da sua camada superficial, que provoca lesões descamativas.

Como tratar: a dermatite é tratada diretamente com um dermatologista, que acompanhará e avaliará os atributos das lesões, orientando medicamentos de acordo com cada um dos casos listados acima. Cremes hidratantes com base de ureia, corticoides ou antialérgicos são os meios mais comuns de se tratarem a dermatite.

Lúpus

Trata-se de uma doença inflamatória autoimune que afeta não só o tecido conjuntivo da pele, como também múltiplos órgãos e tecidos, como as articulações, rins, cérebro e outros órgãos. As manchas avermelhadas podem ser rente à pele ou ressaltadas, que aparecem em qualquer lugar do corpo, ocorrendo com maior frequência em mulheres.

O lúpus pode ser dividido em quatro tipos:

  • Lúpus discoide: a inflamação ocorre apenas na pele. Distinguido a partir de lesões cutâneas, que normalmente surgem no rosto, no couro cabeludo ou na nuca.
  • Lúpus sistêmico: é a forma mais comum da doença, sendo ela mais grave ou mais leve. A inflamação surge no organismo, afetando diversos órgãos não limitado apenas a pele. Os sintomas motivados por este tipo de doença dependem do local em que ocorre a inflamação como o coração, os rins, pulmões e até mesmo o sangue.
  • Lúpus estimulado por drogas: desde medicamentos a alguns tipos de entorpecentes ilícitos, podem acarretar em inflamações temporárias devido ao seu uso. Mas manifestações de vermelhidão na pele são parecidas com o lúpus sistêmico;
  • Lúpus neonatal: circunstância atípica que contamina os filhos ainda no útero das mães que já tem lúpus, ocasionada pelos anticorpos da mulher que agem sobre a criança. Erupção cutânea, disfunção no fígado, baixos níveis de células sanguíneas ou defeitos cardíacos graves. A boa notícia é que com os testes adequados, hoje os médicos já conseguem identificar a maioria das mães com risco, e a criança pode ser tratada antes ou após o nascimento.

Como tratar: remédios imunossupressores ou corticoides orientados pelo médico.

Micose

São manchas na pele caracterizadas pela forma arredondada, avermelhada ou esbranquiçada das lesões, em geral causada por algum tipo de fungo, como Tinha, Intertrigo, Pitiríase Versicolor ou Tinha. Formação de bolhas e descamação da área afetada são sintomas dos mais comuns da micose.

As variedades de micose distinguem-se em:

  • Onicomicose: também conhecido como micose de unha, ocorre geralmente nas unhas do pé, e que a deixa amarelada, deformada e grossa;
  • Candidíase: infecção provocada por um fungo que se surge na boca, e nos genitais de ambos os sexos;
  • Pitiríase versicolor: conhecida como micose de praia, é um fungo que impede a pele de ficar bronzeada quando exposta ao sol, deixando manchas claras no corpo;
  • Pé de atleta: a famosa frieira, atinge a região da sola do pé ou entre seus dedos;
  • Crural: aparece geralmente na virilha recorrente em pessoas obesas, atletas ou pessoas que costumam usar roupas apertadas em dias de muito calor.

Para que o problema se desenvolva, são necessárias que outras condições se acumulem, como um clima muito quente ou muito úmido, baixa do sistema imunológico, assim como o contágio se faz presente.

Como tratar: como existem diferentes tipos de micose, os tratamentos também são encontrados em diferentes remédios antifungos e, por vezes, em antibióticos, que podem ser indicados por um dermatologista.

Dengue ou Zika Vírus

O Zika Vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a doença da dengue e chikungunya. O contágio principal é pela picada do mosquito que, ao se alimentar pelo sangue de alguém já contaminado, transporta o vírus durante toda sua vida, e transmite a doença para as pessoas que não possuem os anticorpos contra ele.

Após 3 dias da mordida do mosquito, pintas avermelhadas razoavelmente elevadas, acompanhadas de coceiras, que aparecem na pele. As manchas aparecem primeiro na região do rosto e vão se espalhando pelo corpo rapidamente e durando aproximadamente 5 dias.

Como tratar: Em caso de suspeita de dengue ou Zika Vírus, procure imediatamente o médico mais próximo. Hidratação, remédios prescritos (Dipirona ou o Paracetamol) e repouso aliviam os sintomas e o incômodo.

Considerações finais

Em todos esses casos, é muito importante ir ao médico para saber do que se tratam as manchas vermelhas na pele. Um acompanhamento dermatológico é capaz de encontrar e solucionar os diversos motivos para as causas da doença. Remédios caseiros devem ser evitados, pois podem acabar tendo o efeito contrário e agravando o estado da pele.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */