Saúde Terapias

Massagem ayurvédica: confira as indicações e contraindicações desta terapia milenar

Massagem ayurvédica indicações e contraindicações

Não é de hoje que a massagem ayurvédica – uma das técnicas de massagem mais antigas da Índia – tem ganhado espaço no Ocidente.

Conhecida por ser um tratamento completo – já que age na causa dos problemas e não apenas nos seus sintomas – a massagem ayurvédica vem ganhando cada vez mais adeptos e atraindo pessoas interessadas em usufruir de seus benefícios.

A questão é que, como toda terapia ou tratamento, essa técnica pode ser contraindicada em alguns casos e pode exigir algumas precauções.

Se você se interessa por massagem ayurvédica, leia este post e saiba em quais casos essa terapia é indicada e em quais ela deve ser evitada ou aplicada com algumas restrições. Confira!

A massagem ayurvédica

A massagem ayurvédica é a mais complexa e antiga técnica de massagem natural conhecida.

Ela teve origem na Índia há cerca de 5 mil anos, e atualmente é a medicina mais praticada por lá, onde 80% da população indiana faz uso da técnica.

Sua filosofia encara o indivíduo como um todo, um ser integral, composto de corpo, mente e espírito. E é a harmonia entre estes três fatores que garante uma vida saudável.

Segundo a visão da medicina ayurveda, quando os canais de energia (chamados de “prana”) ficam obstruídos – seja por estresse, má alimentação, sedentarismo, ansiedade, entre outros – ficamos doentes.

A massagem ayurvédica tem como objetivo desobstruir estes canais para que o fluxo de energia possa circular livremente pelo corpo, promovendo relaxamento e outros benefícios para a saúde. Para isso, o terapeuta realiza toques, pressões e movimentos com as mãos, pés e cotovelos.

Veja a seguir em quais casos essa massagem é indicada e quando deve ser evitada.

Indicações e benefícios da massagem ayurvédica

A massagem ayurvédica é geralmente indicada para reativar as energias físicas, psíquicas e espirituais do indivíduo, liberando e equilibrando o fluxo de energia do corpo e, assim, promovendo relaxamento e bem-estar.

Portanto, a massagem ayurvédica pode é indicada para prevenir e tratar diferentes condições de saúde. Veja as principais:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Má circulação sanguínea;
  • Redução da memória e da capacidade de aprendizado;
  • Edemas musculares;
  • Fadiga crônica;
  • Problemas respiratórios;
  • Problemas digestivos.

Contraindicações e precauções da massagem ayurvédica

Apesar de ser uma terapia não-invasiva e natural, existem algumas contraindicações e precauções a serem tomadas na aplicação da massagem ayurvédica.

A técnica não deve ser aplicada em:

  • Gestantes e lactantes;
  • Soropositivos;
  • Portadores de tumores malignos.

Algumas condições de saúde também exigem que a técnica seja aplicada de forma mais suave. Conheça algumas destas situações:

  • Em casos de descalcificação óssea, o terapeuta não deve aplicar a massagem com os pés;
  • Se a pessoa estiver gripada, recomenda-se evitar a aplicação da técnica ou realizar apenas uma massagem na zona do peito e das vértebras com algum tipo óleo apropriado;
  • No caso de fortes dores no corpo, deve-se aplicar uma massagem mais suave e relaxante.

Por outro lado, a massagem não deve ser aplicada nos seguintes casos:

  • Pessoas com algum tipo de infecção ou febre;
  • Pele com inflamações, erupções ou feridas na região a ser trabalhada;
  • Paciente com indigestão, obstipação ou vômito;
  • Paciente que estiver passando por algum processo de desintoxicação do organismo;
  • Paciente que fez uma refeição completa em menos de 2 horas;
  • Paciente que teve relação sexual há pouco tempo.

Por fim, recomenda-se que antes de fazer uma massagem ayurvédica, o paciente procure o aconselhamento de um médico, sobretudo se estiver passando por algum problema de saúde.

Também é importante se atentar sobre a formação e qualificação do terapeuta que irá aplicar a técnica em você. Procure profissionais bem recomendados e com formação comprovada em instituições de renome.

E então a massagem ayurvédica é indicada para o seu caso? Você já tem alguma experiência com esta terapia? Compartilhe!

Sobre o autor

Juliana Mitsuda