Saúde Terapias

Conheça a história e origem da medicina ayurveda

Medicina ayurveda

Atualmente, a medicina ayurveda tem se consagrado como um dos principais sistemas alternativos de saúde no Ocidente.

Na Índia, onde essa terapia milenar teve a sua origem, ela é atualmente o tipo de medicina mais utilizado, correspondendo a cerca de 80% dos tratamentos, enquanto a medicina alopática (Ocidental) tem uma representatividade bem menor.

Mas você sabe qual a história e origem desse sistema de saúde milenar? Veja a seguir.

A medicina Ayurveda

A medicina ayurveda é considerada como a mais antiga das ciências da saúde, originada na Índia, há cerca de 5 mil anos.

O termo ayurveda, que pode ser traduzido literalmente como “ciência ou conhecimento da vida” e é uma palavra com duas raízes sânscritas – AYU, que significa “vida”; e VEDA, que significa “conhecimento ou ciência”.

A medicina ayurveda é comumente lembrada como a “mãe de todas as saúdes”, pois por meio dela, muitas outras formas de medicina emergiram.

Sua filosofia está baseada na ideia de que o homem é um universo dentro de si mesmo, composto de corpo, mente e espírito, e que o seu estado de saúde reflete a harmonia dinâmica entre esses três fatores.



Assim, a ayurveda pode ser entendida como a ciência da vida, um sistema aplicável a todos que buscam paz e harmonia interior.

Seus princípios são baseados na sabedoria do povo adquirida a partir da experiência e meditação e ensinada por milhares de anos dentro de uma tradição oral de mestres para discípulos.

Aliás, devido a transmissão oral dos ensinamentos, muito conhecimento se perdeu. As informações sobre ayurveda disponíveis nos livros representam apenas uma fração da tradição de cura védica. Sabe-se que muito conhecimento tem sido preservado em núcleos familiares tradicionais, que normalmente não compartilham abertamente seus segredos.

Os Vedas: a origem da medicina ayurveda

A medicina ayurveda teve origem nos Vedas, a mais antiga literatura do mundo. Neles, eram registrados todo o conhecimento que poderia ser útil à humanidade, como engenharia, física, astrologia, biologia, teologia, filosofia, e claro, medicina.

Dos Vedas, quatro foram muito importantes para as origens da medicina ayurveda – o Rig-Veda, o Yajur-Veda, o Sama-Veda e o Atharva-Veda – que eram coleções de hinos e canções escritos por rishis (videntes). Eles eram de dois tipos: de magia branca, com rituais de cura, paz e prosperidade, e de magia negra com rituais de destruição e feitiçaria.

A história da ayurveda na Índia

Apesar de algumas datas sobre a civilização na Índia serem um tanto arbitrárias, a civilização mais antiga de que se tem notícia é a de Harappa, que surgiu por volta de 3000 anos a.C. e que dominou o Vale Hindu por cerca de 1500 anos. Apesar de não haver registros de um sistema médico naquela época, existem evidências de que o povo recorria a algumas substâncias que classicamente são utilizadas na ayurveda.

A civilização de Harappa desapareceu há cerca de 1500 anos a.C. provavelmente devido a desastres naturais, mas também pelas invasões frequentes do povo Ariano, nômades da Ásia Central.

O povo Ariano trouxe consigo os Vedas, e do mais recente, o Atharva-Veda, desenvolveu-se a ayurveda, que por sua vez gerou 6 grandes tratados médicos, entre eles o Charaka Samhita (tratado de medicina interna) e o Sushruta Samhita (tratado de cirurgia), escritos inicialmente para treinar médicos para tratarem de reis e princesas.

Em 563-483 a.c. a medicina ayurveda viveu uma fase grandiosa graças à Buda, que era um grande entusiasta da terapia e incentivava a sua prática.

Mas foi a partir do século III a.c. que a ayurveda viveu sua Era de Ouro. Foi nessa época que Ashoka, imperador do norte da Índia, converteu-se ao Budismo e, motivado pelos ensinamentos de Buda, ajudou a difundir a filosofia e a ayurveda pela índia e também em outros países vizinhos, por meio do envio de emissários.

Mas a Era de Ouro acabou entre os séculos X e XII, quando a Índia sofreu repetidas invasões dos muçulmanos, que assassinaram monges budistas, destruindo universidades e queimando bibliotecas. Os muçulmanos trouxeram para a Índia seu próprio sistema médico, mas ainda assim, a ayurveda sobreviveu. Foi então que no século XVI, Akbar, o maior imperador mongol, ordenou que todo o conhecimento médico indiano fosse compilado, contribuindo ainda mais para a preservação da ayurveda.

No entanto, durante os séculos XVI e XVII, quando as rotas para o Oriente foram abertas, a ayurveda sofreu mais um duro golpe. Os europeus – além de disseminar novas doenças – ainda difamaram a medicina ayurveda, fazendo o povo acreditar que ela era a causa para o atraso de desenvolvimento da Índia. O resultado foi que a prática da ayurveda, assim como a tradição do ensinamento oral de mestre para discípulo, foram fortemente desencorajadas entre os indianos e muito conhecimento se perdeu.

Foi só no século XX, com a ascensão do nacionalismo na Índia que culminou com a expulsão dos britânicos, em 1947, que a arte e a ciência tradicionais indianas ressurgiram e a ayurveda voltou a renascer – agora, com força total.

A medicina Ayurveda hoje

Atualmente, a medicina ayurveda é um dos sistemas médicos reconhecidos na Índia, além de outros cinco: alopatia, homeopatia, naturopatia, Unani, Siddha (variedade de ayurveda praticada ao sul da Índia). Todos esses sistemas são oferecidos à população através de clínicas e hospitais financiados pelo governo da Índia.

Isso só foi possível porque a partir do século XX, foram fundadas muitas universidades para formar médicos ayurvédicos, o chamado BAMS ou Bacharel em Ayuvedic Medicine and Surgery, curso de graduação que dura cinco anos e meio. Atualmente existem cerca de 200 instituições que formaram 450 mil médicos registrados em ayurveda na Índia do século XXI.

Além da graduação existem também os cursos de pós-graduação, onde o médico faz 3 anos de especialização dentro de uma faculdade registrada pelo governo da Índia. Após a especialização o profissional pode desenvolver uma tese de doutorado ou PHD que dura 2 anos. Ou seja, uma formação completa em ayurveda, na Índia moderna, pode chagar a 11 anos de estudos.

Também vale ressaltar que muitas destas universidades de medicina ayurveda realizam pesquisas para o desenvolvimento e promoção deste sistema médico com o objetivo de demonstrar, que apesar do grande desenvolvimento da ciência moderna, existe espaço para uma tradição milenar e que traz resultados clínicos efetivos – sendo inclusive cada vez mais difundida também no Ocidente.

Gostou do assunto e quer saber mais? Confira nossos outros conteúdos sobre massagem e medicina ayurveda!

Sobre o autor

Juliana Mitsuda

/* ]]> */