Recomendados para você
Relacionamento

Meu marido me trai: O que devo fazer? 5 coisas para refletir antes de agir

Traição dói. E muito! Não é fácil lidar com essa situação, principalmente quando é um casamento que já possui um certo tempo e há filhos envolvidos. Mas isso não é motivo para ignorar o problema, mentir para si mesma e para os outros ao seu redor. Esta é uma oportunidade para ser forte, certo?

Não existe uma resposta certa e padrão para todos os casos de traição. Você e seu companheiro possuem uma história particular, com suas idas e vindas e essa traição pode significar o fim do relacionamento ou não. Aí vai depender muito de como você encara as coisas.

Uma certeza: nem tudo que você vai ler aqui te deixará contente. Mas assim, vamos ser diretas, às vezes a gente precisa ouvir (ou ler) certas coisas, não é?

Por isso, em vez de te dar uma série de respostas pré-fabricadas, vou te oferecer algumas perguntas essenciais que você deve se fazer nesse momento antes de tomar qualquer decisão. Preparada? Então respira fundo e vamos nessa!

1. O que significa fidelidade para você?

No dicionário a palavra fidelidade significa:

  1. qualidade do que respeita o outro;
  2. constância nas afeições e compromissos assumidos com outra pessoa;
  3. compromisso com a verdade;
  4. não trair numa relação amorosa.

Entende como fidelidade vai além da traição? Se o seu marido te traiu, mas isso não é algo constante e vocês têm condições de dialogar para restabelecer uma relação saudável, a decisão fica a seu critério. Ainda assim você tem todo o direito de não continuar com o casamento, até porque um ingrediente essencial do relacionamento é a confiança.

Reconstruir a confiança leva tempo e, sinceramente, neste caso você terá que trabalhar também sua autoestima e fazer com que isso não se transforme num fantasma que ficará assombrando a relação.

O problema, de verdade, é quando a traição é recorrente e, além de não manter o compromisso conjugal, ele também falta com o respeito com você, mente e não cumpre com a própria palavra em vários aspectos da vida. Aí o jeito é repensar o relacionamento e partir para uma vida livre desse sofrimento.

2. O que é um relacionamento saudável?

O que você considera um relacionamento saudável diz muito sobre o que você deve fazer diante de uma traição. Muitas vezes toleramos coisas que nos fazem sofrer muito em nome do amor. Só que esquecemos que o amor dele também deve existir, caso contrário qualquer relação se torna doentia.

Saiba mais:

Num relacionamento saudável, o amor faz com que tenhamos atitudes de cuidado, carinho, valorização e preocupação com quem está do nosso lado. O que quero dizer é que, nesse momento, é hora de avaliar o relacionamento como um todo e não apenas esse incidente.

Se este casamento não te faz bem, não existe desculpa para continuar nele, sério.

3. É uma traição recorrente?

Isso não é tão simples de saber, é verdade. Uma vez quebrado o laço de confiança é difícil acreditar nele mesmo que jure de pé junto que foi só uma vez. O jeito é pensar nas evidências e procurar saber por meio de outras pessoas. Isso se você quiser ter certeza absoluta.

Caso você já saiba que não é a primeira vez, aí o buraco é mais embaixo. Porque isso significa que ele já prometeu e falhou com a palavra várias vezes. Neste caso, vale a pena considerar os outros aspectos da relação. E entenda: pode parecer muito dolorosa a ideia da separação, mas é como um remédio amargo, o gosto é ruim na hora, mas depois ajuda a melhorar.

4. Você usa muitas desculpas para manter o casamento?

Essa pergunta é delicada, mas necessária. Quando acontece uma traição, recorrente ou não, é sinal de que outros aspectos do relacionamento vão mal. Não se trata de pensar em culpar alguém, se trata de compreender que talvez existam muitos outros indícios de que a relação já está desgastada faz um tempo.

Diante dessa situação delicada na relação, é compreensível que você busque formas de se enganar. Essas formas de auto engano geralmente são desculpas construídas por você. Por quê? Para se enganar. Provavelmente o medo do novo, do que virá após o fim do casamento seja maior do que sua força para dar um fim nesse martírio.

O jeito é pensar nas desculpas mais comuns e tentar desconstruí-las.

Principais desculpas para manter o casamento

  • Dependência financeira: Muitas mulheres não querem se separar porque não possuem condições de se manter sozinhas. Seja porque a qualidade de vida vai cair com o divórcio, seja porque elas nunca trabalharam (por escolha própria ou imposição do marido), ou simplesmente porque estão há muito tempo fora do mercado de trabalho;
  • Dependência afetiva: Essa desculpa costuma vir junto com pensamentos automáticos do tipo: “O que eu vou fazer sozinha? E se eu nunca mais encontrar ninguém que me ame? Estou velha demais para me separar, ninguém vai me querer assim”. E por aí vai. Nesse caso, indico que você trabalhe a autoestima, pode ser com terapia, um especialista pode ajudar muito nessas horas;
  • Arrimo afetivo/financeiro: É quando ele depende mais de você do que você dele. Nestes casos, você pode se sentir culpada por terminar a relação, mesmo sabendo que ele te traiu. É péssimo se sentir assim, porque mesmo quando você está absolutamente certa e não quer mais continuar casada, ainda permanece na relação porque tem medo de que ele não consiga se manter e se cuidar sozinho. Lembre-se: ele é um adulto e deve saber se cuidar. No caso de ele ter problemas com depressão, é essencial procurar ajuda de especialistas.
  • Filhos: Muitas vezes os filhos são a principal desculpa para continuar a relação, mesmo com traições e brigas. Veja: talvez seja melhor para seus filhos que vocês se separem e vivam melhor, com mais tranquilidade e paz do que obrigá-los a presenciar os problemas da relação de vocês. E outra: não é justo jogar a responsabilidade da continuidade da relação neles, pois é isso que você faz, mesmo que não queira, quando usa seus filhos como desculpa.

Bem, lembra quando você leu lá no início do post que essa era uma oportunidade para ser forte? Pois é…

5. Qual é o seu projeto de vida?

Parece uma pergunta estranha quando o assunto é traição, contudo, na realidade, ela tem tudo a ver com esse momento que você vive. Toda grande dificuldade, todo momento de dor e sofrimento é uma oportunidade de repensar a maneira como estamos vivendo.

Quando você pensa qual é o seu projeto de vida, você deve refletir sobre quais são seus objetivos pessoais e profissionais. O que é prioridade para você? Você tem trabalhado em prol de suas próprias conquistas?

A partir dessas reflexões, que tal avaliar o papel do seu marido nisso tudo? Ele contribui para que você siga seus planos de metas e objetivos para crescerem juntos? Ele te dá o apoio necessário?

Uma relação saudável exige esse tipo de atitude, independente de traição. Que tal pensar sobre o amor? Veja só esse artigo:

Daqui para frente

Agora que você já pensou sobre vários detalhes da relação, provavelmente já sabe o que é melhor para você. Se sua decisão é continuar a relação, procure estabelecer novos compromissos, dialogar muito e confiar de verdade nele, para que você não se transforme numa ciumenta paranoica. Acredite, isso é muito comum.

Se você acha que não dá mais, procure ajuda de amigas que realmente possam te ajudar, pessoas da família que possam te apoiar e também, se possível, um psicólogo ou terapeuta para acompanhá-la nessa nova fase.

Independente da sua decisão, saiba que você deve se cuidar para não sofrer, ok? Boa sorte!

 

Este post te ajudou a pensar? Sim? Então compartilha nas redes sociais! Se quiser, envie sua opinião sobre ele para nossa página no Facebook.

Obrigada e até a próxima!

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */