Maternidade Saúde

Microcefalia: o que é, causas, tratamento e grupo de apoio

A microcefalia é um problema de malformação que acontece ainda durante a gestação. Entre os fatores de risco estão algumas doenças contraídas pela gestante. No entanto, fatores hereditários podem oferecer a possibilidade deste mal.

Recentemente foi constatado por órgãos de saúde do Brasil que o zika vírus se tornou um dos fatores de risco para a malformação em bebês.

Veja também – Remédios caseiros para dengue

Saiba mais sobre microcefalia:

O que é microcefalia?

A microcefalia é uma malformação congênita. O que isso significa? Doenças congênitas são as que se manifestam antes do nascimento ou desde o nascimento. Geralmente possuem como causas problemas genéticos, que passam de geração em geração. No entanto, podem apresentar outras possíveis causas.

Nestes casos, o cérebro não se desenvolve adequadamente e o perímetro cefálico é menor do que o normal para o sexo biológico e a idade gestacional do bebê. Esse quadro clínico pode ser constatado por meio de ultrassonografia ou no nascimento do bebê.

Quais são as causas de microcefalia?

Entre os principais fatores de risco, além do genético, estão as doenças que a mãe adquire antes ou durante a gestação:

  • infecções por sífilis;
  • toxoplasmose;
  • rubéola;
  • herpes;
  • desnutrição grave;
  • ingestão de substâncias como álcool, alguns medicamentos e substâncias tóxicas;
  • zica vírus.

Como é o diagnóstico de microcefalia?

Existem duas formas de diagnosticar a criança: por meio de exame ultrassonográfico ainda na gestação, a partir do segundo trimestre de gravidez, e após o nascimento após a medição do perímetro cefálico do bebê. Os especialistas devem, ainda, realizar exames de tomografia e ressonância magnética.

Quais são os problemas causados pela microcefalia?

Entre os problemas causados estão:

  • deficiência intelectual;
  • atraso de fala;
  • convulsões;
  • problemas motores.

Como é o tratamento para microcefalia?

Nos casos mais graves, em que ocorrem convulsões, os médicos receitam remédios para controlar esses episódios. Além dessa possibilidade, a criança deve ter um acompanhamento com profissionais da fonoaudiologia, para auxiliar no desenvolvimento da fala.

Sessões de fisioterapia podem auxiliar na superação das dificuldades motoras mais graves. A criança pode, ainda, participar de atividades de terapia ocupacional e grupos de apoio e acolhimento.

Grupo de apoio para famílias de crianças com microcefalia

Se você é cuidador ou cuidadora de uma criança com microcefalia, ou ainda, se conhece alguém que está passando por isso, existe um grupo de apoio no Facebook em que cuidadores e familiares de crianças com microcefalia conversam, tiram dúvidas e desabafam. Confira:

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */