Doenças

Doença do molusco contagioso: sintomas, causas e tratamento

Molusco contagioso: o que esse nome tão terrível tem que o torna tão assustador? Bem, talvez você não saiba o que necessariamente seja isso, mas isso não que dizer que não seja comum.




>>PROMOÇÕES BLACK FRIDAY AMAZON - ATÉ 70% EM TODO O SITE

molusco contagioso é uma doença de pele causada por um vírus. É muito comum em crianças por conta do sistema imunológico em formação e também pelo contato com outras crianças, podendo passar umas para as outras.

Pensando nisso, separamos algumas informações essenciais para você entender e conseguir tratar, caso esteja passando por esse sufoco.

Molusco contagioso: o surgimento

O molusco tem esse nome por conta do animal com o mesmo nome. Porém, a doença nada tem a ver com o animal. Apenas há uma similaridade.

molusco contagioso surge como verrugas, mas é muito diferente delas. Diferente das verrugas, o molusco pode gerar pequenas a médias bolhas esbranquiçadas ou até um pouco avermelhadas. Em casos mais raros, pode gerar pus.

O surgimento do molusco contagioso se deve a um vírus muito conhecido na família Poxvírus. Esse é um tipo de vírus que se manifesta muito em lugares de clima tropical e quente. Seu desenvolvimento aumenta ainda mais quando não se cuida da higiene e se passa muito tempo suando.




>>PROMOÇÕES BLACK FRIDAY AMAZON - ATÉ 70% em Moda Feminina

Os sintomas basicamente do molusco são as bolhas. Não costuma apresentar nada além disso. O tempo que a doença fica incubada para finalmente aparecer leva de 2 a 8 semanas. Até lá não é possível saber que se está com ela até que as bolhas comecem a aparecer.

Essa doença, por mais que apresente um teor mais estético, não apresenta grandes problemas. Quando a qualidade de vida for comprometida é altamente recomendável que se procure um especialista para poder averiguar através de curetagem o que mais pode estar causando os incômodos.

Qual é o grupo de risco?

Pessoas com sistema imunológico mais comprometido e com doenças mais graves como o HIV devem procurar ajuda de um especialista. Crianças também são mais suscetíveis a terem o molusco contagioso, por isso, é importante acompanhar com um médico o que deve ser feito.

Tratamento

O tratamento pode ser feito com uma série de óleos e pomadas. Não é recomendado que se tire as bolhas sem ajuda de um especialista, pois mesmo tirando isso não garante que elas não voltem para o mesmo lugar que estavam antes.




>>PROMOÇÕES BLACK FRIDAY AMAZON - ATÉ 70% em Moda Feminina

Tirar as bolhas pode ocasionar um trauma na pele. Geralmente as bolhas levam de 6 a 12 meses para finalmente saírem do corpo. A cura acontece de forma independente. Os cremes podem ajudar a encurtar esse prazo, mas é muito importante ver a reação da pele respondendo aos medicamentos.

molusco contagioso não costuma deixar marcas, mas alguns casos relataram que pequenas cavidade foram deixadas na pele. Nada que possa estragar a derme.

Contágio

Uma das grandes polêmicas em relação ao molusco contagioso é a sua forma de contágio. Muitas vezes você sabe que a pessoa que possui o vírus mostra na pele a doença, mas e quando não sabemos quem possui e o contágio acontece por conta de um objeto que foi tocado e está contaminado?

Por mais que o contágio seja feito quase que a maioria das vezes pelo contato, é importante ficar de atenção e estar sempre lavando as mãos, passando álcool para ajudar a não garantir a doença no organismo além de outras.




>>PROMOÇÕES BLACK FRIDAY AMAZON - ATÉ 70% em Moda Feminina

Esportes de contato, as relações íntimas e crianças que brincam com outras que já possuem a doença são algumas das formas mais comuns de que ela se alastre para outros corpos.

Água também é uma forma de transmissão. Uma pessoa com molusco e que esteja em contato com piscinas e hidromassagens pode acabar transmitindo a doença para outras pessoas.

As regiões que são mais notórias para o desenvolvimento do molusco são as mais visíveis, como: mãos, abdômen, pernas e braços. A região genitália também pode sofrer o desenvolvimento da doença. É importante não deixar que abram feridas para facilitar o processo de cicatrização.

Ainda que seja uma doença trabalhosa, pois pede que assim que o paciente a tenha que evite manter contato com outras pessoas, não oferece riscos graves a saúde. O acompanhamento é sempre indicado para uma diagnóstico certo.




>>PROMOÇÕES BLACK FRIDAY AMAZON - ATÉ 70% em Moda Feminina

Molusco x herpes

O molusco pode ser bastante similar a herpes em relação as lesões na pele, porém, as herpes representam um caso mais grave. As herpes acabam afetando o sistema imunológico, também são transmissíveis e formam feridas que podem coçar muito e formar verdadeiras bolhas de feridas.

A herpes leva geralmente de uma semana a 10 dias para se curar. Muito mais rápido que o molusco, mas em compensação os sintomas são mais mais profundos que do molusco.

Além disso, em casos mais graves a herpes pode dar febre e desestabilizar o paciente. O molusco é muito mais simples em relação a herpes. E o tratamento é extremamente diferente também, por isso é importante ver os sintomas. Ao primeiro sintoma de coceira, corra para o especialista.

E depois do contágio?

Algumas pessoas acreditam que por já terem tido a doença isso não vai se repetir, mas é um ledo engano. O molusco contagioso pode se desenvolver novamente no corpo de uma pessoa que já teve. Não seria o mesmo caso da catapora, por exemplo.

Quando se está com a doença, é importante manter todos os objetos a volta e as roupas muito bem limpas e estar em constante limpeza para poder evitar que ela se alastre para outras pessoas. Esse processo também é importante com pessoas que acabaram de se curar.

Como é uma doença de recuperação lenta, ninguém gostaria de passar mais de seis meses ou um ano com ela, não é mesmo?

Considerações finais

molusco contagioso é uma doença de contágio. Muitas vezes é impossível saber como pegamos, pois nem sempre conseguimos ver aonde ela pode estar.

Mesmo que tenhamos todo o cuidado, um objeto infectado pode ser o suficiente para gerar a doença no organismo. Mas é importante ficar despreocupado, pois a doença não oferece maiores riscos.

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */