Comportamento

Não-Binário: o que é e qual seu espaço entre gêneros?

Não-Binário

Você sabe o que significa ser não-binário? Esse termo está entre os utilizados na definição de gênero e diz respeito a um público específico de indivíduos. A pessoa que é não-binária possui vantagens quanto a serem tratadas em um pronome ou outro, e você entenderá o porquê.

Vamos entender melhor o que é ser uma pessoa não-binário e identificar seu espaço entre os gêneros? Então, vamos lá!

Não-Binário: o que é e qual seu espaço entre gêneros?

Para começar, existe um termo chamado “guarda-chuva” que é utilizado para definir as pessoas não-binárias. Neste caso, as pessoas que se definem como não-binárias são aquelas que não se identificam com apenas um dos gêneros, podendo estar presente em ambos.

Por exemplo, quando chamamos uma pessoa não-binária utilizando termos masculinos ou femininos, para ela ambos são válidos e serão atendidos normalmente.

O “não” na frente do nome já ajuda a definir esse significado, constatando que não há uma resposta certa para qual gênero eles pertencem – acaba que eles fazem parte de ambos.

Fora do Brasil, onde é mais conhecido por esse nome do que aqui, também pode ser chamado de genderqueer.

Em resumo, é mais certo dizer que elas não se identificam 100% com nenhum dos dois gêneros – masculino e feminino. É como se houvesse um limbo entre eles, onde os não-binários procuram se encontrar. No mais, podem se ver migrando de um gênero para o outro, ou permanecendo no que for menos desconfortável para eles.

Você sabe o que é gênero?

Gênero não é a mesma coisa que sexo, sendo que o sexo de uma pessoa está ligada ao órgão reprodutor que ela possui, como ela nasceu. Por exemplo, uma mulher que tem o sexo feminino, pode muito bem se identificar como um homem – sendo assim, passa a ser uma pessoa transsexual (que se identifica com o sexo oposto e se identifica dessa forma).

O gênero é como uma pessoa se encaixa na sociedade em quesitos de separação entre homens e mulheres. É como essa pessoa se identifica, como ela se vê na sociedade. Por exemplo, uma pessoa com do sexo masculino pode se identificar com o gênero feminino – assim como no exemplo acima.

É possível que uma pessoa se identifique com um dos gêneros, com nenhum ou com ambos. A pessoa que não se define como nenhum dos dois, feminino ou masculino, é a pessoa não-binária.

Entender gênero é um ótimo passo para entender todo o restante, assim como orientação sexual, por exemplo.

O que é identidade de gênero?

Agora, você sabe o que é identidade de gênero? A identidade de gênero é o que já citamos acima, como exemplos. É quando uma pessoa se identifica ou não com o gênero ao qual elas nasceram.

A identidade de gênero de uma pessoa pode ser definida como trans ou cis. Trans é a pessoa que se identifica com o gênero oposto – como uma mulher trans, que têm os órgãos masculinos mas se vê como mulher, e vice-versa.

Já a pessoa que se identifica como cis é aquela que tem afinidade com o próprio gênero – uma mulher cis é uma mulher que se identifica com o gênero feminino e possui os órgãos reprodutores femininos.

Ficou fácil compreender agora, não é?

Dica: ao falar com uma pessoa trans, é sempre importante tratá-la com os pronomes que ela se identifica. Se for um homem trans, trate-o no masculino e se for uma mulher trans trate-a no feminino.

Se for preciso, peça para que a pessoa diga com qual pronome ela se identifica e prefere ser chamada. Isso pode ser um bom passo para começar.

Você sabia que também existe a expressão de gênero?

O que pode confundir muitas pessoas que não fazem parte do movimento LGBTQIA+ é a diferença entre expressão de gênero e identidade de gênero.

Bom, você já aprendeu o que é identidade de gênero. Agora, vamos entender o que é a expressão de gênero.

Reflita sobre o nome, “expressão”. Ou seja, a pessoa está se expressando para o mundo, é como ela se mostra, como é vista por todos. Uma pessoa pode preferir se expressar com roupas masculinas e se identificar com o gênero feminino.

Existem muitas mulheres, principalmente as lésbicas e bissexuais, que gostam de utilizar roupas masculinas. Nem por isso elas se identificam como homens. Elas apenas gostam de se expressar daquela forma. Compreende?

Pode parecer confuso no início, mas o que importante é que todas essas pessoas se sintam acolhidas e façam parte da sociedade. Afinal, todos nós possuímos nossas diferenças e formas de se expressar.

Bandeira Não-Binária

A bandeira que representa esse público possui as seguintes cores: amarelo, branco, púrpura e preto.

O amarelo representa os gêneros que não estão ligados nem ao masculino nem ao feminino. O branco está ligado aos múltiplos, ou seja, que possuem mais de dois gêneros.

A cor púrpura representa os que se identificam com ambos, uma mesclagem. E o preto, por fim, representa a ausência de uma definição – onde não há gênero.

É uma bandeira de inclusão de gêneros dentro do grupo de não-binários, mostrando como eles são vastos e diversos.

Conclusão

Você já sabia que existia essa definição? As pessoas não-binárias fazem parte de nossa sociedade e merecem todo o apoio e cuidado, pois elas representam a causa que acreditam.

Mesmo que tenhamos falado mais sobre o assunto apenas nos últimos anos, focados mais no século XXI, é algo que está em nossa sociedade a muitos e muitos séculos.

Assim como a homossexualidade, as pessoas trans e todos os outros que pertencem à sigla LGBTQIA+, eles ocupam espaços há muito mais tempo do que podemos imaginar. E a história comprova isso.

Agora, você poderá dar aula sobre o assunto quando alguém for desrespeitoso ou tiver dúvidas sobre pessoas não-binárias. O mais importante você já fez, que foi buscar se informar para não cometer erros ao interagir com todas elas.

Afinal, todos nós queremos e merecemos ser respeitados, independente de diferenças.

Sobre o autor

debora