Beleza Estética

Otoplastia: Cirurgia para corrigir as famosas orelhas de abano

Otoplastia: Cirurgia de orelha

Quando somos crianças, algumas condições estéticas incomuns podem ser um problema, pois originam brincadeiras maldosas e apelidos desagradáveis que podem resultar em distúrbios psicológicos e emocionais no futuro.

É o caso da orelha de abano – condição em que a borda da orelha fica mais afastada da cabeça, deixando-a em evidência – e que pode resultar em problemas de autoestima, inclusive na vida adulta.

Veja também: Cirurgia de nariz: Tire suas dúvidas sobre a Rinoplastia

Para corrigir esse tipo de incômodo, existe a otoplastia, cirurgia que corrige imperfeições na orelha melhorando a harmonia desta com o rosto. Neste post, abordaremos os principais pontos desta intervenção cirúrgica. Confira.

O que é otoplastia?

A otoplastia é uma cirurgia plástica, reparadora e estética, que tem como objetivo contornar imperfeições nas orelhas.

A anomalia mais comum corrigida por ela são as orelhas proeminentes (de abano), porém outros problemas como ausência congênita, orelhas constritas ou sequelas causadas por traumas também são tratados com esta técnica.

Ela minimiza deformidades como assimetria, angulação e tamanho buscando a harmonia da forma, volume e posição.



Quando ela é indicada?

A indicação da otoplastia é baseada no tamanho do incômodo que a imperfeição causa no paciente, pois nem sempre o grau de severidade da má formação está relacionado com o grau de incômodo.

Existem pessoas com grau leve de imperfeição, mas que se sentem incomodadas a ponto de mudar hábitos por conta do problema, como nunca utilizar cabelo preso ou curto a fim de disfarçar a proeminência da orelha. Já em outros casos, a pessoa pode ter um grau severo de imperfeição, sem que esta cause prejuízo à autoestima e vida social do indivíduo.

Assim, recomenda-se a cirurgia para pessoas que, independente do grau de severidade da imperfeição, sintam-se incomodadas e prejudicadas emocional e socialmente por este problema.

A otoplastia é indicada a partir dos seis anos de idade, visto que neste período as orelhas já estão completamente desenvolvidas. Após essa idade, a cirurgia pode ser realizada em qualquer fase da vida, inclusive adultos que buscam superar antigos desconfortos decorrentes da orelha de abano.

Como a otoplastia é feita?

A otoplastia é uma cirurgia bem simples e o paciente costuma ter alta no mesmo dia. Mas isso não significa que ela dispense cuidados pré-operatórios.

Antes da cirurgia, o paciente deve fazer exames laboratoriais e passar por uma avaliação médica. O uso de medicamentos com efeito coagulante e anti-inflamatório é proibido e na véspera da operação é preciso lavar os cabelos e manter um jejum de oito horas antes da cirurgia.

O procedimento resume-se a um corte atrás da orelha e a remodelagem da cartilagem com pontos. É feito com anestesia local, exceto em crianças muito pequenas, em que é aconselhável a anestesia geral.

A cirurgia tem uma duração média de 90 minutos e a recuperação é tranquila, com pouca dor ou riscos de complicações.

Cuidados no pós-operatório

Após a otoplastia, é feito um curativo a fim de conservar a modelagem recém-desenhada e que deve ser mantido por 2 a 7 dias, quando os pontos são absorvidos ou retirados.

A partir de então, o paciente passa a usar uma faixa elástica protetora que mantém as orelhas imobilizadas durante um mês.

Além disso, recomenda-se dormir de barriga para cima e não deitar sobre a orelha durante os primeiros 45 dias. Também não é indicado praticar esportes ou ter exposição solar excessiva durante dois meses, já que isso pode atrapalhar o processo de cicatrização.

Durante 60 dias, movimentos bruscos que podem atingir a região da orelha devem ser evitados, pois há o risco desta se descolar novamente, causando problemas como assimetria, infecção, má cicatrização, dor e alterações na sensibilidade da pele.

Contraindicações, riscos e possíveis complicações

A otoplastia não é recomendável para crianças menores de 6 anos e nem em pacientes que apresentem risco cirúrgico alto, como doentes cardíacos, portadores de anemia e problemas de coagulação.

Os riscos são baixos, os mesmos inerentes a qualquer cirurgia ou anestesia, e que podem ser minimizados com um bom pré-operatório.

Após a cirurgia pode ocorrer sangramento, hematoma, dor e inchaço acima do esperado e até ocorrer infecção. No entanto, seguindo à risca as recomendações do médico cirurgião no pós-operatório, as chances de complicações são mínimas.

Os resultados costumam ser muito satisfatórios e a cicatriz praticamente imperceptível, já que fica atrás das orelhas.

A otoplastia é uma cirurgia simples, segura e que vai muito além de uma alteração física. Ela pode trazer benefícios enormes para a autoestima e o emocional do paciente, libertando-o de desconfortos e constrangimentos ocasionados pela orelha de abano.

Você conhece alguém que fez otoplastia? Como a pessoa se sentiu depois da cirurgia? Houve melhora emocional e comportamental? Compartilhe suas experiências!

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Juliana Mitsuda

/* ]]> */