Doenças Saúde

O que é parestesia e como tratar esse problema

O nosso corpo é uma grande máquina que nunca para de funcionar nem quando estamos dormindo. Ele irriga sangue e oxigênio para nosso cérebro, faz nosso coração continuar batendo, estabiliza nossa respiração, mas não é só isso que ele faz, ele também indica sinais de que algo está errado, como a parestesia.

Por exemplo, quando ficamos gripados o nosso corpo começa a dar sinais do vírus, como garganta estranha, coriza, dores no corpo, indisposição, entre outros sintomas conhecidos da gripe.

O mesmo vale até para doenças mais graves, como um infarto onde o corpo começa a demonstrar que há algo de errado, como dores no peito, dormência em certas regiões, entre outros sintomas.

E também tem aqueles sintomas que comuns, mas que nem sabemos que podem ser uma doença, como a dormência. Você com certeza já deve ter sentido dormência ou formigamento sem motivo algum, ou por ficar muito tempo sentado ou debruçado em cima do braço ou da perna, por exemplo.

Acontece que esse formigamento ou dormência podem ter outro significado.

O que é parestesia

Pode parecer normal, mas esse formigamento pode ser sinal de parestesia. A parestesia são efeitos normais ou não de queimação, formigamento, adormecimento ou picadas na pele. Geralmente os sintomas da parestesia são sentidos nos braços, pernas, mãos ou pés.

Como dito, a parestesia nada mais é que a aquela dormência que você sente depois de ter dormido em cima do seu braço ou ter ficado muito tempo sentada em cima da perna.

A diferença é que esse sintoma pode ser transitório ou crônico. Na parestesia transitória ela é sentida pela maior parte das pessoas, nessas situações que descrevemos acima.

Já na parestesia crônica é bem diferente, esse formigamento pode ser um sinal de que você tem uma circulação fraca, neuropatia, irritação nervosa, entre outros sintomas.

Causas da parestesia

Ainda não é possível ter uma resposta concreta do aparecimento da parestesia, o que se sabe é que a parestesia transitória é provocada pela pressão sobre um período breve de má circulação ou sobre um nervo.

Mas, em algumas pessoas, esses sintomas não aparecem somente quando dormimos em cima da mão por algum tempo, em algumas pessoas essa sensação nunca desaparece de verdade e ainda volta com uma frequência muito maior que o normal.

Nesse caso, no caso de parestesia crônica, essa dormência indica que o paciente pode ter um dano nos nervos e por isso é necessário procurar um médico.

No caso de ser realmente um dano nos nervos, existem diferentes tipos de danos: a neuropatia e a radiculopatia.

Neuropatia

No caso de neuropatia, quer dizer que a danificação no nervo é crônica. A hiperglicemia é a maior causa responsável pela neuropatia, o que quer dizer que o paciente tem um alto teor de açúcar em seu sangue.

Mas além desse teor elevado hiperglicemia, a neuropatia também pode surgir devido a traumas, doenças auto-imunes (artrite reumatóide), doenças neurológicas, lesões por movimentos recorrentes, doenças renais e hepáticas, acidente vascular encefálico, hipotiroidismo, tumores perto dos nervos ou no próprio cérebro.

O mesmo acontece em casos que o paciência tenha infecções (como HIV e doença de Lyme), distúrbios na medula óssea, deficiência de vitaminas do complexo B, excesso de vitamina D e até reação a certos medicamentos, como os usados em quimioterapia ou anticonvulsivos.

Radiculopatia

Já a radiculopatia é causada quando as raízes nervosas ficam comprimidas, inflamadas ou irritadas. A radiculopatia pode aparecer devido a uma estreitamento do canal que transmite ao nervo da medula espinhal para a extremidade, qualquer compressão que atinja o nervo quando ele sai da coluna vertebral e uma hérnia de disco que pressiona algum nervo.

No caso da radiculopatia, existem variações dessas raízes nervosas comprimidas. O paciente pode desenvolver uma radiculopatia lombar, que atinge a lombar e causa parestesia essencialmente na região das pernas e dos pés.

Existe também a radiculopatia cervical, que atinge os nervos que são responsáveis pelas sensações e força nos seus braços. No caso da radiculopatia cervical o paciente sofre de fraqueza nos braços e nas mãos, parestesia nas extremidades superiores e dores crônicas na região do pescoço.

Tratamento para parestesia

Como a parestesia podem ser causada por vários fatores o método de cura da doença também varia para cada situação. Dependendo do seu tipo de parestesia os sintomas podem ser eliminados diante de algumas mudanças no dia a dia do paciente.

No caso da sua parestesia ter sido causada por causa de movimentos repetitivos, alguns ajustes na rotina e a fisioterapia são de grande ajuda. Por exemplo, diminuir o excesso do uso de computador, que se enquadra no quesito de movimentos repetitivos.

Agora, se a parestesia for causada por causa de uma doença subjacente, nesse caso será possível apenas diminuir os sintomas da doença. Como dito, o tratamento vai depender exclusivamente da situação dos pacientes e, em alguns situações, essas danificações nos nervos não tem cura, mas isso vai variar de pessoa para pessoa.

Como diagnosticar a parestesia

Caso você já sinta essas dormências, principalmente quando executa movimentos contínuos é importante contar para o seu médico. E se você tiver diabetes, o médico determinará se você tem neuropatia ou algum dano no nervos.

Esse diagnóstico também é feito por meio de exames, incluindo exames físicos. Será preciso realizar um exame neurológico, de sangue, entre outros exames. Já para os casos onde o paciente sofra com dores no pescoço ou na coluna vertebral, o médico solicitará exames de raio-x, tomografia ou ressonância magnética.

Se você está em dúvida se tem ou não parestesia você pode procurar seu ortopedista, neurologista ou endocrinologista.

Como dito, o nosso copo é uma grande máquina que nunca pare de funcionar e ele pode estar lhe dando sinais de que algo está errado, por isso é preciso estar atento a todos os sinais e sempre procurar um médico se você achar que esses sintomas são anormais.

É só essa ida constante ao médico que você saberá se tem algo mais grave ou se essa dormência não passa de um causa comum da parestesia. De qualquer forma, não negligencie os sinais que o seu corpo está te dando, esses sinais fazem toda a diferença para um diagnóstico precoce.

LISTA VIP!
Nossas Dicas no seu Email
Seja a primeira a saber das nossas últimas dicas. Coloque seu email abaixo e receba nossos posts:
Cadastrar!
close-link
/* ]]> */