Beleza Estética Pele

Peeling de diamante: Benefícios para a saúde e beleza da pele

Peeling de diamante

Entre os muitos tratamentos estéticos de rejuvenescimento da pele, o peeling é, sem dúvida, uma das técnicas mais conhecidas e que é capaz de tratar a pele desde o nível mais superficial até o mais profundo. E entre os tratamentos preferidos das mulheres, está o peeling de diamante.

Ele provoca uma esfoliação profunda da pele, removendo as células mortas, eliminando manchas e combatendo as rugas.

Quer saber mais sobre o peeling de diamante? Então leia este post e entenda como esse procedimento é feito e quais benefícios ele pode trazer para sua pele. Confira!

O que é peeling de diamante e como ele funciona?

O peeling de diamante – também conhecido como microdermoabrasão – é um peeling mecânico que utiliza um aparelho para realizar uma microesfoliação na pele.



O principal objetivo do tratamento é remover as células mortas que se acumulam na camada mais superficial da pele e estimular a produção de colágeno, principal proteína responsável por dar forma, estrutura e sustentação à pele.

Para quem esse tratamento é indicado?

O peeling de diamante é indicado para pessoas que desejam tratar diversas imperfeições na pele decorrentes do envelhecimento, exposição solar e outros tipos de lesões. Conheça algumas condições nas quais seu uso é indicado:



  • Melanoses (manchas superficiais localizadas na epiderme);
  • Cicatrizes de acnes;
  • Rugas finas e marcas de expressão;
  • Poros dilatados;
  • Estrias recentes, finas e avermelhadas.

O procedimento pode ser feito em qualquer tipo e tonalidade de pele, e em qualquer parte do corpo, apesar de ser mais comum em tratamentos faciais. Tratamentos de rejuvenescimento do colo e das mãos são exemplos de aplicação corporal deste peeling.

Como é feito o peeling de diamante?

O peeling de diamante é feito com um aparelho de vácuo que possui uma ponteira com um diamante em sua extremidade, capaz de promover o lixamento da pele.

Existem três tamanhos de ponteira: 75 mícrones de diâmetro (maior); 100 mícrones (intermediária) e 150 mícrones (menor). As ponteiras de 100 e 150 mícrones fazem uma esfoliação mais suave e são indicadas para tratamentos faciais, enquanto a de 75 mícrones atua de forma mais profunda na pele, funcionando bem em tratamentos corporais e que pedem mais intensidade, como estrias, por exemplo.

Inicialmente, é feita uma higienização da pele e o profissional coloca a ponteira de diamante sobre a área de tratamento. Então a sucção comprime a pele contra o diamante que desliza sobre ela, em movimentos circulares ou em linha, tratando toda a região afetada, esfoliando e removendo a camada mais superficial da pele.

É comum aplicar algum dermocosmético após o peeling, já que o procedimento melhora a capacidade da pele de absorver estes ativos, apresentando melhores resultados.

O procedimento não é doloroso e dispensa a anestesia ou analgesia. Somente em casos de tratamento muito profundo, é possível que o paciente sinta um leve desconforto.

Após a aplicação do peeling de diamante, a pele pode apresentar vermelhidão e descamar por alguns dias, reações normais que indicam o processo de renovação da pele.

O numero de sessões varia de 3 a 5, de acordo com o caso, com intervalo de 15 dias entre sessões. Cada sessão tem duração média 30 minutos.

Benefícios do peeling de diamante

Por promover uma esfoliação profunda removendo a camada mais superficial da pele, o peeling de diamante traz diversos benefícios para a beleza e saúde da pele, deixando-a mais firme, lisa, uniforme e rejuvenescida. Confira alguns:

  • Remove as células mortas da pele;
  • Estimula a produção de colágeno e elastina;
  • Elimina marcas e cicatrizes;
  • Ameniza rugas e marcas de expressão;
  • Desobstrui e fecha os poros;
  • Ajuda no controle da oleosidade;
  • Melhora a absorção de dermocosméticos pela pele;
  • Melhora o aspecto das estrias.

Cuidados no pós-tratamento

Após o peeling de diamante, a pele fica mais sensível e por isso requer cuidados especiais.

Durante a primeira semana, o paciente deve lavar a pele com sabonete neutro e hidrata-la com produtos recomendados pelo dermatologista, pois estes ajudarão no processo de regeneração da pele. No caso da pele ficar muito sensível e irritada, o uso de água termal é indicado para acalmar a cútis.

É essencial evitar a exposição ao sol nos primeiros dias pós-tratamento e utilizar protetor solar com, no mínimo, FPS 50, e reaplicação a cada quatro horas.

O uso de outros produtos cosméticos, como ácidos e maquiagens, só deve ser feito uma semana após a aplicação do peeling de diamante para evitar irritações.

Contraindicações e riscos

Apesar de não ser um tratamento muito agressivo, o peeling de diamante não é indicado para pessoas que possuem pele sensível ou com rosáceas, pois a pele pode ficar ainda mais irritada e até ocasionar manchas.

Pessoas que possuem lesões cutâneas e inflamações ativas, como acnes amarelas de grau severo, também não devem realizar o procedimento, pois pode aumentar a inflamação ou até contaminar outras áreas, espalhando os microrganismos infecciosos pela pele.

O procedimento não apresenta grandes riscos, e as possíveis complicações estão associadas à exposição solar, que pode causar manchas na pele, que estará sensível após a esfoliação. Além disso, peelings muito profundos podem causar pontos de sangramento que podem se tornar futuras manchas na pele.

O peeling de diamante é um procedimento seguro e que traz resultados significativos na aparência e textura da pele. No entanto, deve ser feito por um dermatologista e os devidos cuidados pós-procedimentos seguidos à risca, para que os resultados esperados sejam alcançados.

Curtiu nosso post sobre peeling de diamante? Então aproveite e divida essas informações com suas amigas! Compartilhe nas redes sociais!

Sobre o autor

Juliana Mitsuda