Saúde

Sal Kosher: um toque de chef ao alcance de todos

Os variados tipos de sal permitem usos (e efeitos) também distintos. O sal Kosher, por exemplo, não é refinado; é naturalmente mineral – e costuma ser mais salgado que o sal de mesa.

O ideal é usar os dedos para salpicar delicadamente o sal Kosher no alimento, uma vez que existe a diferença de densidade. A dica é usar metade dele em relação ao que usaria de sal refinado.

Vale dizer que a textura mais grossa facilita bastante na hora de pegar pitadas do produto para colocar na comida.

É um sal fabricado a partir da terra ou do mar. E a origem de seu nome está ligada ao processo de preparo da carne Kosher, uma regra da alimentação judaica. Seus cristais são perfeitos para a curar a carne.

A tradição judaica não permite o consumo de sangue. Por isso, o sangue presente na carne precisa ser retirado, mas o sal comum não dá conta do recado porque seus grãos finos são absorvidos, deixando a carne salgada.

Como os grãos do sal de Kosher são maiores, eles cobrem a camada externa da carne e absorvem o sangue. Então, a crosta de sal e sangue é lavada.

E um detalhe importante ao cozinhar: espere um minuto antes de provar a comida, pois o sal Kosher dissolve mais devagar. A pressa pode causar erro na medida, porque a tendência é achar que o preparo está insosso.

Em geral, os chefs de restaurantes preferem o sal Kosher na grande maioria dos pratos, exceto para assar. Os profissionais encontraram vantagens e criaram inúmeras técnicas usando este sal.

Com o crescente aumento dos programas de culinária nas tevês, o produto passou a ser mais conhecido e, portanto, incorporado à culinária doméstica, fazendo disparar as vendas dele por toda a parte.

É possível dizer que todos os pratos que preparamos em casa podem usar o sal Kosher. Da carne de porco a uma simples pipoca.

Basicamente, todos os sais contêm cloreto de sódio (NaCL). A diferença entre eles está principalmente na textura, além de outras pequenas distinções. O sal Kosher apresenta grãos cristalinos, não traz conservantes e é especialmente útil na conservação de peixes e carnes.

kosher-sal-2

Os chefes incrustam estes alimentos em uma pasta de água e sal antes de assá-los lentamente, por 4 ou 5 horas.
O sal Kosher ajuda reter a umidade das carnes e frutos do mar.

É uma tática culinária para deixar as carnes suculentas e mais saborosas. Para tanto, elas são mergulhadas em banho de sal Kosher e água antes de cozinhar.

E sabe aquela borda dos copos de margarita? Pois é o sal de Kosher ali. No entanto, o interesse pelo produto é muito mais amplo do que seu uso em copos de bebida, como você viu nos parágrafos anteriores.

No que diz respeito à tarefa de realçar o sabor dos pratos, o sal Kosher mantem mais o frescor e a integridade quando comparado ao sal de mesa.

Para obter um tempero divino, basta misturar o sal Kosher, ervas e condimentos.

Além de todas as aplicações já citadas, este sal também pode ser usado em enlatamento e conservas.

E, assim como qualquer outro tipo de sal, o Kosher eleva a temperatura da água, favorecendo sua rápida ebulição.

Conhecer as diferenças entre os tipos de sal é interessante para montar uma dieta mais saudável, com propriedades e sabores diversos. Hoje você aprendeu mais sobre o sal Kosher. Que tal aproveitar para dar um toque de chef à sua rotina na cozinha?

Sucesso, e até breve!

Veja também:

Sobre o autor

Fatima