Vegetarianismo

Seitan (ou “carne de glúten”): como fazer e tudo sobre

Originário do Oriente, o seitan, alimento razoavelmente novo entre nós, ainda mantém aquela aura de mistério como boa parte das coisas que vêm dos orientais. Mas, é comida adorada especialmente pelos vegetarianos ou veganos.

Também é muito empregado na macrobiótica. Basicamente, é um alimento derivado da farinha de trigo que, após ser sucessivamente lavada, vai perdendo gorduras e o amido, restando apenas sua proteína, que é o glúten, uma massa pastosa que é depois preparada com outros ingredientes vegetais.

Preparo com um toque pessoal

Utilizada há milênios em países do Oriente, como Japão, China, Coréia e Rússia, ainda tem sua origem não bem esclarecida. Mas, provavelmente, dizem os estudiosos, provém do Japão e o seitan seria palavra derivada da proteína do trigo.

Você pode encontrá-lo em lojas especializadas ou até mesmo fazê-lo em sua casa, o que, aliás, é bastante trabalhoso. Para fazê-lo em casa, basta pegar a farinha de trigo e lavá-la diversas vezes em água corrente, na torneira, até restar apenas uma massa grudenta e pegajosa, que é o glúten.

A esta massa, são acrescidos alguns ingredientes em porções diferentes para cada caso (especiarias, legumes) e tudo cozido com molho shoyu para adquirir gosto e consistência.

Com essa “carne vegetal”, você pode fazer acompanhamento para macarrão, lasanha e outros pratos de seu gosto.

Consumir sem excessos, por favor

Também vai muito bem com legumes, verduras e outras criações de sua cozinha. Como é originário do glúten, a proteína do trigo, o seitan é, claro, rico em proteína e possui doses boas de ferro e vitamina B, além de fibras vegetais.



Adorado pelos vegetarianos, o seitan então é um alimento completo?

Afirmam os nutricionistas que se trata de bom alimento, mas, longe de ser completo. Ele não possui aminoácidos na quantidade requerida pelo organismo e, por isso, precisa ser complementado.

E trata-se de glúten e, portanto, não pode ser consumido por pessoas que não possuem tolerância a esta proteína. Consumido em excesso, como ao meio-dia e à noite, pode provocar problemas intestinais em qualquer pessoa. Portanto, cautela.

Um alimento sem colesterol

Como vantagem, não é um alimento calórico. Um bifinho de cem gramas possui um máximo de até 140 calorias, o que é tolerável. E possui quase nada de gorduras saturadas.

Nas embalagens compradas em lojas, muitas vezes o valor nutricional vai apresentar variações de um produto para outro. Isso deve-se, normalmente, aos demais ingredientes que compõem a mistura, como ervas ou legumes.

Como produto de origem vegetal, o seitan também não possui colesterol, o que é outra notícia boa. E é razoavelmente pobre em carboidratos, pois quase todo amido foi retirado na lavagem da farinha.

Essa forte presença da proteína vegetal é o que torna o seitan um produto predileto daqueles que praticam o vegetarianismo ou veganos.

Mostram os especialistas que em cada 100 gramas de seitan, aproximadamente 24 gramas são de proteína vegetal. E tem também as fibras vegetais em quantidades razoáveis.

Proteínas também em outros vegetais

A essa proteína, acrescente-se o cálcio e minerais, como ferro, para justificar sua preferência por aquelas pessoas que preferem não comer carne animal. Essa massa fibrosa, entretanto, precisa de complementação para todas as exigências do corpo humano, garantem os nutricionistas.

E a dieta em que predomina o seitan pode levar a complicações intestinais mesmo em pessoas sem problemas com o glúten, pois este é proteína de absorção mais difícil pelo intestino, podendo provocar alergias e desequilíbrios. Por isso, cuidado com os excessos.

Além disso, é bom lembrar para aqueles que buscam no seitan a substituição à carne de origem animal que proteínas podem ser encontradas em outros vegetais, também de grande importância alimentar. Entre estes, cita-se o tradicional feijão, berinjela, brócolis, espinafre, beterraba, quinoa, lentilhas, couve e frutas como banana e tomate.

Nem todos nutricionistas aprovam

E estes alimentos também possuem outros importantes ingredientes, como vitaminas e minerais, não encontrados no seitan. Então, é sempre bom levar em consideração que o seitan é excelente complemento alimentar, mas, nunca vai substituir integralmente todas as suas necessidades.

É por isso que muitos nutricionistas torcem o nariz quando se trata de consumir seitan em grandes quantidades e em substituição aos alimentos de todos os dias.

Algumas das vantagens do seitan

Em todo caso, vamos citar algumas das vantagens desse alimento rico em proteína vegetal:

  • Possui baixo teor de sódio e, por isso, é recomendado para pessoas que sofrem de hipertensão;
  • É citado como alimento de fácil digestão, se não consumido em excesso, o que o torna recomendável para quem possui problemas estomacais;
  • Como é alimento de origem vegetal, está livre de gorduras e, portanto, torna-se importante auxiliar para dietas de emagrecimento;
  • Também por ser livre de gorduras, auxilia no combate ao colesterol e ajuda contra as doenças cardiovasculares;
  • Para atletas e aquelas pessoas que gostam de cultuar o físico, o seitan ajuda no desenvolvimento da musculatura e, portanto, é importante auxiliar para a prática de exercícios físicos.

Grelhado ou assado, uma maravilha

Apesar dos perigos citados quando consumido em excesso – e qualquer alimento faz mal quando consumido em excesso –, o seitan sem dúvida é de grande importância e utilidade quando empregado em dietas equilibradas e que visam a saúde do corpo humano.

Afinal, trata-se de alimento de origem vegetal, livre de gorduras e, especialmente, ingredientes químicos que hoje são misturados a alimentos para torná-los mais vistosos, bonitos e atraentes ao paladar.

É realmente um alimento natural. Você pode prepará-lo exatamente como faz com a carne animal. Pode ser grelhado, assado ou até cozido, sem problemas. Se precisar de alguma gordura para ajudar no preparo, use o azeite de oliva.

Na sua refeição, dê complementos ao seitan

Por ser a fonte de proteína, bastam apenas os acompanhamentos naturais de qualquer outra refeição como o arroz, batatas ou o macarrão. E, claro, aquelas saladas de encher os olhos e ajudar o organismo, sejam elas cruas ou cozidas.

O seitan vai entrar para dar o suporte proteico que seu organismo necessita. Sem cair no exagero nem pensar que se trata de alimento completo. Como qualquer outro, os complementos são sempre importantes demais.

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Giovanna Cóppola

Trabalha com web, design, criação, conteúdo, SEO e fotografia. Em 2011 criou a Pandartt e hoje assume a direção da agência, além de colocar a mão na massa em todos os projetos. Paralelamente, tem outros três projetos: Viva com Felicidade, BlogGeek e Mapa dos Bichos. Ama música, cinema, jogos, arte, tecnologia, tatuagens e pandas.

/* ]]> */