Maternidade Saúde

Tendinite gestacional e no pós-parto: sintomas, tratamento e prevenção

A tendinite gestacional e no pós-parto é uma causa comum de dores e desconfortos nesse período. Se tratada corretamente, o incômodo pode passar em até 7 dias. No entanto, se não for tratada, a inflamação pode prejudicar a mobilidade dos pulsos e até romper o ligamento do tendão.

Neste artigo, saiba o que é a tendinite gestacional e no pós-parto, veja como tratar com repouso, exercícios especiais e alimentação adequada. Confira também como prevenir o problema.

O que é tendinite gestacional e no pós-parto?

A tendinite gestacional e no pós-parto, também conhecida como síndrome do túnel do carpo, é uma inflamação que geralmente atinge os tendões do pulso. No entanto, ela pode acometer outras regiões, como os ombros. Neste artigo, falaremos especificamente da inflamação no pulso.

A inflamação acontece por causa de movimentos repetitivos. A repetição de movimentos impede a oxigenação dos tecidos, aumenta a quantidade de ácido lático e produz enzimas que degradam a estrutura do tendão.

Na gravidez e no pós-parto o corpo da mulher passa por muitas alterações nos hormônios. Essa é uma das causas do problema. Outra fonte de inflamação são os movimentos repetitivos, principalmente no pós-parto, quando a mãe está lidando com o bebê e cuidando dele. O corpo já debilitado ainda precisa carregar o bebê e isso pode agravar o problema.

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas da tendinite gestacional e no pós parto no pulso são:



  • dores no local;
  • formigamentos na mão;
  • falta de força;
  • dormência na mão.

Como tratar tendinite gestacional e no pós-parto?

Para tratar a tendinite gestacional e no pós-parto há algumas estratégias caseiras que vão desde exercícios localizados, imobilização com faixas e mudanças na alimentação.

1. Repouso

Se a inflamação estiver avançada, já com inchaço e prejuízo dos movimentos do braço, é preciso imobilizar a área. Evite esforços e dê uma pausa de suas atividades por um período de 3 a 5 dias. Se possível, consulte um médico especialista que possa te dar um atestado médico.

Para imobilizar a área, você pode adquirir talas que se vendem em farmácias, como esta:

Caso você não possa comprar uma tala em tempo hábil, existe uma maneira de fazer uma tala emergencial em casa usando esparadrapo. Veja:

Após realizar a bandagem, se preferir, envolva o pulso com uma faixa.

2. Exercícios

Depois que passar o período de repouso, procure fazer exercícios de fortalecimento.

Pesquisamos vídeos com alguns exercícios fáceis de fazer em casa para você combater a sua inflamação. A maior parte dos exercícios é indicada para fortalecer a musculatura extensora do braço.

Esse fortalecimento dará mais apoio aos tendões, evitando que eles fiquem sobrecarregados. Confira:

Segundo o especialista, a primeira coisa a se fazer é corrigir a postura da coluna. Em seguida, ele passa dois exercícios para fazer usando um elástico de dinheiro (que pode ser substituído por um elástico de cabelo, por exemplo).

O especialista alerta que o exercício da bolinha não é indicado. Para completar ele ensina uma outra forma de fazer a tala usando fita isolante.

3. Alimentação

Alimentos antioxidantes são muito indicados para quem está com tendinite. Eles ajudam o corpo a combater a inflamação e sarar mais rápido. Confira uma lista de alimentos com esta propriedade:

  • cúrcuma ou açafrão (tempero);
  • aveia;
  • azeite de oliva;
  • chá verde com gengibre;
  • frutas cítricas;
  • frutas vermelhas;
  • beterraba;
  • linhaça;
  • chia.

Além de adicionar estes alimentos em sua dieta, é preciso eliminar todos os produtos industrializados, como biscoitos recheados, pães de fôrma, salgadinhos, refrigerantes, sucos de caixinha. Tudo que for rico em açúcar e tiver muita farinha de trigo branca deve ser evitado por um tempo.

Como prevenir a tendinite gestacional e no pós-parto?

Para prevenir a tendinite gestacional e no pós-parto, é importante corrigir a postura da coluna, como já vimos. Também é essencial fortalecer a musculatura extensora dos braços.

Além disso, é possível fazer uma coisa simples para evitar a sobrecarga no local: deixar de apoiar o peso do corpo a mão aberta. Como? Fechando suas mãos, com o punho fechado, apoie o peso do corpo como se você fosse dar um soco. Isso ajuda a não flexionar tanto as articulações já inflamadas.

Veja também:

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Mariana Mendes

/* ]]> */