Sexo

Tipos de vagina: conheça os 6 mais comuns

Tipos de vagina

Você conhece os tipos de vagina que existem? E ainda, sabe classificar a sua em alguma dessas categorias?

O corpo da mulher passou a ser explorado e reconhecido há pouco tempo, comparado com o dos homens. No sentido de que a mulher sempre precisou resguardar e encobrir a sua intimidade, as questões relacionadas com a sua vagina e os seus desejos.

Porém, felizmente, com o passar do tempo este paradigma começou a mudar. Embora ainda existam estigmas em torno da sexualidade da mulher, os movimentos feministas crescem fortemente na luta contra esta desigualdade e falta de liberdade.

Sendo assim, te convidamos a conhecer os seis tipos de vagina mais comuns que existem. A partir disso, você poderá conhecer um pouco mais sobre a sua sexualidade, o seu corpo e a sexualidade de todas as mulheres.

Vamos juntas quebrar paradigmas e abrir espaço para este assunto? Então continue acompanhando o nosso artigo e vamos lá.

Conheça os 6 tipos de vagina

Vagina do tipo “boneca”

Este é um dos tipos de vagina mais incomum. A vagina estilo “boneca” é aquela em que os pequenos lábios são envolvidos quase que completamente pelos grandes lábios.

É aquela imagem que vemos por aí, como uma “vagina perfeita”.

Entretanto, se engana quem pensa que é apenas assim. Muito pelo contrário, toda essa simetria é, na verdade, bem difícil de encontrar.

Vagina do tipo “cortina”

Este tipo de vagina já vai totalmente contra a ideia de simetria que a vagina estilo boneca apresenta.

Neste caso, no entanto, os pequenos lábios aparecem muito mais que os grandes lábios. Ficando, de certa forma, “penduradinhos”. O que, no aspecto geral, da a sensação de uma cortina.

Em compensação da vagina do tipo boneca, este é um dos tipos de vagina mais comum.

Tipos de vagina

Vagina do tipo “inchada”

O tipo de vagina inchada se enquadra em uma categoria com mais simetria e “harmonia” nos traços. Os pequenos lábios são menores que os grandes, sendo envolvidos pelos mesmos.

Entretanto, que a diferencia do tipo de vagina boneca é o seu aspecto inchado. Formando uma vagina mais gordinha e carnuda que o outro tipo simétrico.

Este inchaço, no entanto, não significa que a vagina seja “durinha”. Entretanto, nada impede que seja.

Dessa maneira, uma vagina do tipo inchada pode ser tanto flácida quanto durinha. Isso mudará, obviamente, de acordo com o organismo de cada mulher.

Vagina do tipo “tulipa”

Dentre os demais tipos de vagina, ainda encontramos o conhecido “tulipa”. Nesta categoria, no entanto, o desenvolvimento vaginal da mulher faz com que nos lembremos de um botão de tulipa.

O seu formato específico onde os pequenos lábios ficam ligeiramente expostos dão a impressão de que a vulva é uma tulipa prestes a desabrochar.

Vagina do tipo “borboleta”

A vagina estilo borboleta é bem parecida com a categoria de vaginas cortina. Entretanto, o que a difere deste outro tipo é que a borboleta apresenta os lábios pequenos e os grandes demasiadamente maiores.

Ou seja, enquanto que na vagina tipo cortina apenas os lábios pequenos ultrapassam os maiores, nessa ambos apresentam um tamanho avantajado.

Dando, dessa forma, a sensação de que são asas de borboletas. Os formatos dessas vaginas fazem com que nos lembremos das asas de borboleta batendo.

Inclusive este é um dos tipos de vagina mais comuns entre nós mulheres.

Vagina do tipo “tocha olímpica”

Por fim, temos a vagina tocha olímpica em nossa lista de tipos de vagina. Essa, por sua vez, leva este nome pelo fato do clitóris ser bem exposto e maior.

A tocha remete a este excesso no clitóris: o mesmo aparece facilmente. Sendo assim, não há necessidade de ficar procurando-o.

Este tipo de vagina, no entanto, não é tão comum quanto as demais mencionadas. Sendo equivalente a vagina estilo boneca.

Tipos de vagina

Conheça o seu corpo

Muito mais importante que conhecer os tipos de vagina é conhecer o próprio corpo, não é mesmo?

Afinal, é imprescindível que a mulher se dê ao direito de tocar a sua vagina, olhar pra ela e observá-la de maneira ampla e aprofundada.

Somente assim daremos margem à quebra de paradigmas e prisões psicológicas que a mulher sofre no decorrer da sua vida.

Conhecer cada pedacinho da nossa vagina, entender como ela funciona e experimentar novas formas de sensações é sempre prazeroso e pode trazer muitos benefícios para a vida da mulher.

Afinal, se autoconhecer abrange questões relacionadas a um sexo mais gostoso, além de permitir que os relacionamentos amorosos sejam mais saudáveis e duradouros.

Para isso, a mulher precisa dar a oportunidade de olhar para si mesma. Somente assim ela poderá experimentar novos momentos e sensações.

Dessa maneira, te convidamos a fazer exatamente isso: procure olhar mais para si, experimente novas sensações e conheça cada pedacinho da sua vagina.

Afinal, ela fará parte da sua vida para sempre. E, além disso, ela é responsável por lhe dar prazer durante as relações sexuais.

E, no entanto, como você poderá dar prazer a ela – e consequentemente sentir – se você não descobrir o que ela gosta de verdade?

Dessa forma, se joga menina! Conheça o seu corpo e viva a vida plenamente, do jeito que você merece.

/* ]]> */