Casamento

Tradição de jogar o buquê de flores no casamento: origem e significado

Você é daquelas que adora ir a um casamento? De tempos em tempos, os casamentos vêm mudando e sendo adaptados a diferentes estilos, conforme o perfil dos noivos.

Hoje em dia, há casamentos rústicosno campocowedding, minimalistas, juninos, na praia, entre outros tipos, mas que, apesar de “diferentões”, quase nunca deixam os rituais tradicionais para trás.

E um dos momentos mais esperados momentos da festa é aquele em que a noiva joga o buquê de flores para as convidadas. Tímidas, raivosas, determinadas, competitivas, sortudas ou desesperadas, as moças presentes formam um time para disputarem quem vai pegar a peça primeiro.

Quem pegar, será a próxima a casar! E, se no amor e na guerra, vale tudo, não há como não rivalizar. Mas, afinal, qual é o significado da tradição de jogar o buquê de flores no casamento? Ela funciona mesmo? Se você sempre gostou de participar da brincadeira, mas nunca entendeu bem por que ela se tornou um ritual nos casórios, chegou ao lugar certo.

Confira, neste artigo, tudo sobre a origem e significado da tradição de jogar o buquê de flores nos casamentos. Vamos lá?

Veja também:

Buquê de noiva: qual modelo combina mais com você?

Por que usamos o buquê de noiva?

Ele é uma peça-chave na composição do visual de toda noiva. Mas, além de deixar o look mais romântico e delicado para subir ao altar, o seu significado vai muito além de apenas embelezar.

Para quem não sabe, a palavra “buquê” deriva da palavra francesa “Bouquet”, que quer dizer, em tradução para o português, “arranjo de flores”. Diz-se que, na Idade Média, um dos costumes da época em casórios era que as noivas recebessem ervas aromáticas e flores enquanto caminhavam até o altar.

Era uma forma de os convidados desejarem boa sorte aos noivos na nova vida e, ainda, espantar os maus espíritos que pudessem estragar a união do casal. O rito pegou tanto que, além de carregar as flores para subirem no altar, nas cerimônias da Polônia, as noivas também salpicavam açúcar no buquê.

De acordo com a crença, fazer isso traria prosperidade e anos mais doces de convivência entre o casal. Já na Grécia, durante o ritual, as noivas aderiram ao costume de carregar ervas aromáticas e alho em um arranjo de flores de cor azul, que teria o significado de afastar a inveja e negatividade.

Em todos os países e crenças, o fato é que o buquê de flores é utilizado como amuleto e adorno de proteção dos noivos nas cerimônias de casamento.

Veja também:

Buquê de peônias e 9 fotos que são um sonho!

E o que significa a tradição de jogar buquê de flores no casamento?

E, finalmente, chegamos à tradição de jogar o buquê de flores no casamento para as convidadas. De acordo com registros históricos, esse ritual surgiu no século XIV, na França, e teve como objetivo o de substituir uma tradição mais antiga, que era o de arrancar pedaços do vestido de noiva e distribuir às convidadas, com o intuito de atrair amor e sorte.

Afinal, os vestidos de noiva passaram a ser super valorizados e, com peças cada vez mais caras e luxuosas, as noivas passaram a jogar outros objetos no lugar de rasgar os seus belos vestidos. Como a ideia era atrair sorte e amor quando se pegava pedaços dos vestidos, logo, o buquê de flores passou a significar que a convidada que o pegasse seria a próxima sortuda a se casar.

Porém, como nem tudo são flores – literalmente – na vida, o fato é que os buquês de flores também passaram a ser itens caríssimos, o que fez com que muitas noivas procurassem por formas alternativas para não ter que arremessar o seu buquê de flores luxuoso às convidadas durante a comemoração do casório.

Algumas das opções são os buquês de fitas, por exemplo, ou ramalhetes de flores falsos. Enfim, de qualquer forma, a tradição de jogar o buquê de noiva significa, então, uma forma desejar sorte e amor às convidadas do casamento. Se isso funciona ou não, já não sabemos…

Você já conheceu alguma sortuda que pegou o buquê jogado pela noiva no casamento e se casou depois? Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais contando a história!

Até a próxima!

Sobre o autor

Raiane