Maternidade

Trombofilia na gravidez: saiba aqui causas e sintomas sobre o problema

A circulação sanguínea é muito importante na gravidez. É através dela que os nutrientes e o oxigênio chegam ao bebê.

Neste período, a quantidade de sangue aumenta em até 1,5 litros durante a gravidez. Por isso, tanto o ritmo quanto a frequência cardíaca também têm um crescimento.

O corpo tem muito mais trabalho para manter o sangue circulando e a trombofilia está relacionada à complicações na circulação.

Neste artigo, você vai compreender o que é a trombofilia, quais os tipos, as causas, os principais sintomas e também mais informações sobre essa complicação durante a gestação.

O que é trombofilia?

A trombofilia não é classificada como uma doença. Na verdade, ela é a tendência de desenvolver a trombose, doença que acontece com a formação de coágulos que obstruem as veias e dificultam a circulação sanguínea.

A trombofilia é muito mais perigosa para pessoas com propensão genética ou histórico anterior de quadros de trombose.

Quais são as causas:

A trombofilia está relacionada a:

  • tratamentos de reposição hormonal, comuns na menopausa;
  • ingestão de estrogêneo, hormônio presente em pílulas anticoncepcionais;
  • gestação, por conta da questão da circulação sanguínea prejudicada;
  • viagens longas de avião, por conta da pressão;
  • cirurgias e imobilizações;
  • trombose recorrente na pessoa;
  • trombose recorrente na família;
  • outros quadros como AVC, infarto ou morte súbita antes dos 50 anos na família.

 Sinais de trombofilia:

Os casos de trombofilia podem ocorrer sem que médico e pacientes percebam. No entanto, é possível prestar atenção a alguns sinais importantes.

Casos de abortos repetidos pode ser uma consequência de casos de trombofilia.

Analisar o histórico familiar e da gestante, conforme as possíveis causas de trombofilia.

Inchaço repentino ou persistente no corpo da gestante. Atenção especial ao rosto e às mãos, pois os pés costumam ficar inchados durante a gravidez.

A pressão arterial elevada durante a gestação, principalmente antes da 33ª semana de gestação pode apresentar trombofilia.

Quais exames são necessários para identificar a trombofilia?

Não existe um único exame capaz de detectar a trombofilia, já que ela não é uma doença em si, mas uma propensão à quadros de trombose.

Neste caso, o médico irá analisar os possíveis sinais de trombose e pedir alguns exames de sangue.

O exame de sangue que investiga o fator VIII é pedido para observar a produção desse fator de coagulação no organismo da gestante e se há problemas em relação a ele.

Cuidados com a trombofilia:

  • evitar viagens longas de avião;
  • berber muita água;
  • fazer uma caminhada leve por 30 minutos todos os dias;
  • acompanhamento médico regular.

Síndrome do Anticorpo Antifosfolípede (SAF):

A SAF acontece quando o corpo possui um desequilíbrio na produção de anticorpos que interferem na coagulação do sangue. Isso torna o sangue mais espesso e pode proporcionar a formação de coágulos, que são a trombose propriamente dita.

A SAF em gestantes pode comprometer a circulação do sangue que vai para a placenta, impedindo que nutrientes cheguem ao bebê. Neste caso, é muito grande o risco de abortamentos.

 

A trombofilia tem preocupado muito médicos e gestantes por conta dos fatores de risco, por isso é importante manter hábitos saudáveis durante a gestação. Sempre consulte um médico.

Veja também: 4 ótimos exercícios de relaxamento para a gravidez.

 

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */