Maternidade

Vaga em creche: saiba aqui como garantir o direito de seu filho

A creche é um direito da criança que é assegurado pela Constituição Federal de 1988, no entanto nem sempre as creches municipais aceitam as crianças em suas unidades. Isso gera muito transtorno para os pais, especialmente quando a licença-maternidade está terminando. Como garantir a vaga em creche para a criança nesses casos?

A Defensoria Pública age em conjunto com os pais para cobrar do Poder Público desse direito e assegurar a vaga da criança na creche pública, se for possível, ou até pagar a inscrição da criança numa creche privada para que os pais possam trabalhar e a criança tenha cuidados.

Neste artigo, você verá detalhadamente como proceder para garantir a vaga em creche para seu filho com a defensoria pública.

O que é a Defensoria Pública?

A Defensoria Pública é uma organização pública que garante a defesa dos direitos dos cidadãos que não possuem condições de arcar com as despesas do processo e pagamento de um advogado particular. Para conseguir o atendimento da Defensoria Pública, é necessário comprovar a renda e patrimônio.

Quem tem direito à defensoria pública?

Famílias com renda de até 3 salários mínimos possuem o direito à defensoria pública. No entanto, é recomendável entrar em contato com a unidade em sua cidade para se certificar sobre casos específicos.

De quem é a responsabilidade da educação infantil?

Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a LDB, a organização dos serviços públicos de educação no Brasil acontece assim:

  • municípios: promover a educação infantil, que são as creches, pré-escolas e o ensino fundamental;
  • estados: oferecer o ensino médio, que é a educação básica;
  • governo federal: supervisionar o ensino superior.

Por isso, caso seu filho seja cadastrado na creche pública e seja rejeitado por falta de vagas, você pode recorrer à justiça para que o direito da criança à educação infantil seja garantida.

Como garantir o direito passo a passo:

Antes de entrar em contato com a defensoria pública, é necessário que você já tenha ido até uma unidade pública de educação infantil e feito o cadastro e requerimento da vaga para seu filho e que ele tenha sido rejeitado por falta de vaga.

A partir daí, você precisa se dirigir à unidade da defensoria pública da sua cidade com os seguintes documentos:

  • documentos pessoais dos pais: RG, CPF ou Carteira de Habilitação;
  • comprovante de residência: atualizado, pode ser conta de água, energia elétrica, contrato de aluguel, etc;
  • comprovante de renda familiar: de todos os integrantes da família, pode ser os 3 últimos holerites, carteira de trabalho, estrato bancário dos últimos 3 meses, declaração de imposto de renda ou do empregador;
  • certidão de nascimento da criança: apenas a certidão, o RG não é aceito;
  • comprovante de inscrição da criança na creche desejada: é o protocolo de cadastro para matrícula na educação infantil, expedido pela Secretaria Municipal de Educação.

Outros documentos complementares podem ser solicitados, caso seja necessário para o caso.

Para agendar o atendimento, entre em contato pelo número: 0800 773 4340.

Em seguida, você terá a sua renda avaliada para comprovar que pode receber a assessoria pública. Após isso, iniciará o processo de requerimento de vaga. Veja mais detalhes:

1. Petição inicial:

É o requerimento por escrito que é apresentado ao juiz explicando toda a situação. Este documento é escrito pelo advogado que a defensoria pública conceder para o seu caso.

2. Análise da liminar pelo juiz:

O juiz lerá a petição inicial e analisará o caso, podendo requerer ao Poder Público, que é a Secretaria de Educação do Município os motivos pelos quais a criança não recebeu a vaga.

3. Contestação do Poder Público:

O Poder Público pode explicar os motivos pelos quais a criança não recebeu a vaga.

4. Fase de prova:

Ambas as partes apresentam as provas, que são analisadas pelo juiz.

5. Sentença:

Nessa última fase, o juiz apresenta a liminar que obriga o município a oferecer a vaga à criança, como ocorre na maioria dos casos.

Quanto tempo pode durar esse processo?

A maioria dos municípios, possui um sistema relativamente ágil de atendimento, principalmente se a documentação levada pelos pais estiver completa. Nestes casos, é possível que a petição inicial fique pronta no mesmo dia.

Quando o juiz produz a liminar que favorece os pais, até que o Poder Público possa conseguir a vaga em questão, pode demorar um pouco, sobretudo se não houver vagas nas unidades públicas e for necessário abrir um convênio com unidades particulares.

 

Este artigo foi útil para você? Compartilhe esse artigo nas redes sociais e escreva sua opinião!

Veja também: Calendário de Vacinação: 5 aplicativos para você e sua família ficar em dia.

Sobre o autor

Mariana Mendes